O quão profunda é a relação entre a ByteDance e o PCC? Relatório interno revela a verdade

Partido Comunista Chinês expressa claramente suas expectativas com relação às agências filiais partidárias dentro das empresas privadas

Por Jinghao Su, Epoch Times

Devido a preocupações com a segurança nacional o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, solicitou a venda dos negócios da TikTok nos EUA pela empresa chinesa ByteDance. Os EUA acreditam que é impossível que a ByteDance escape do controle do Partido Comunista Chinês (PCC) e que as informações pessoais dos usuários americanos do TikTok corram o risco de serem submetidas ao PCC.

Em 8 de setembro, o Instituto Australiano de Política Estratégica publicou um relatório intitulado “TikTok e WeChat: Planejamento e Controle do Fluxo de Informações Globais”, introduzindo como o TikTok adotou os métodos de monitoramento usados ​​dentro do firewall do PCC, cada vez mais censurando os conteúdos nos Estados Unidos e em outras regiões, desafiando a liberdade de expressão no exterior e a íntima relação entre a ByteDance e o PCC.

Com base no relatório, descrevemos a seguir a relação profunda entre a ByteDance e o PCC.

A ByteDance estabeleceu um comitê partidário para fidelizar atividades pró-PCC

O relatório afirma que os valores do Partido Comunista Chinês estão no âmago da maneira de raciocínio do ByteDance: encobrimento e controle de conteúdo das plataformas. O ato de criar uma agência filial do PCC reflete isso. A primeira agência do partido foi estabelecido em outubro de 2014 e, posteriormente, estabeleceu um comitê do partido em abril de 2017, formando ainda departamentos suportes como: relações públicas; tecnologia e informação; e controles internos que asseguram que os valores estão em conformidade com os do partido.

A constituição do Partido Comunista Chinês expressa claramente as expectativas do Partido com relação às agências filiais partidárias dentro das empresas privadas, chamando-as de “organizações partidáris de nível inferior”. A partir do ano de 2001, as entidades privadas foram requeridas para que contratem pelo menos três membros do PCC, devem também estabelecer uma filial partidária na estrutura interna da empresa e “implementar resolutamente as decisões da organização partidária superior”.

Conforme o relatório, as empresas de grande porte, especialmente aquelas provedoras de internet, são conhecidas pelos estabelecimentos de comitês partidários internos. Esta prática permite que as empresas que não possuem marketing e imagem política mostrem sua lealdade ao PCC e demonstrem servir à missão política do Partido. Obviamente, a ByteDance não é exceção.

Por exemplo, o relatório afirma que, em junho de 2018, o comitê partidário interno da ByteDance e o comitê central do Partido Comunista Chinês organizaram em conjunto um evento temático. Os funcionários da ByteDance (membros do comitê interno) permaneceram de frente para a bandeira do partido, levantaram a mão direita, de punho erguido e reiteraram sua promessa como membro do partido: juram nunca trair o partido.

No vídeo ao vivo no 40º aniversário da reforma e abertura do comitê do Partido da ByteDance, os membros do PCC refletem sobre o discurso de Xi Jinping e compartilham a ideologia do partido da perspectiva da companhia. Um funcionário disse: “Como membro do partido e funcionário da empresa, devemos começar por nós mesmos, incorporar o espírito da reforma em nosso trabalho e aprendizagens diários e nos tornar um ‘parafuso’ que nunca enferruja”.

A ByteDance utiliza tecnologia e talentos para ajudar a propagar a imagem do PCC

De acordo com o relatório, a ByteDance também utiliza propaganda e métodos ideológicos sem igual. Após a Conferência Nacional de Propaganda e Trabalho Ideológico de 2018, o comitê partidário ByteDance organizou um curso relacionado. Nesses cursos, o vice-presidente da empresa, Zhang Fuping, enfatizou que, como uma empresa provedora de internet, a ByteDance deve usar suas vantagens em tecnologia e talentos para disseminar ativamente a energia positiva e contar bem a história da China, tentando o melhor para promover e ajudar a sociedade a se desenvolver.

O relatório afirma também, que a ByteDance usa sua posição própria como empresa líder provedora de internet para melhorar a propaganda e trabalho ideológico, mostrando como a empresa usa sua plataforma para provar sua lealdade ao PCC, ao mesmo tempo dando forma à expressão (posicionamento). Isso foi demonstrado quando o ministro do departamento de propaganda partidário da província de Fujian visitou a fábrica ByteDance em Fujian. Durante a visita, o ministro alegou a expectativa da empresa ao utilizar suas vantagens em marketing digital e novas tecnologias para divulgar e interpretar ainda mais o “Pensamento de Xi Jinping”. A ByteDance tem usado sua plataforma (especialmente Douyin/Tiktok) para ajudar as províncias, regiões e cidades a espalhar a propaganda do PCC.

Matt Schrader, analista da Alliance for Securing Democracy em Washington, disse uma vez ao Washington Post ao se referir à China: “Você não pode postar nada que viole as normas ideológicas do partido em Douyin/Tiktok, nem esperar que as postagens possam permanecer sem ser removidas”.

A sede da ByteDance tem uma equipe de segurança cibernética policial do PCC

A conexão da ByteDance com o PCC também se estende à cooperação com agências de segurança pública e leis públicas. O relatório citou uma reportagem do Wall Street Journal que, como todas as grandes empresas de tecnologia chinesas, a sede da ByteDance em Pequim também tem uma equipe de segurança cibernética da polícia do PCC. Essa formação permite que os funcionários entreguem os dados dos usuários e outras informações confidenciais sem burocracia, isto é, sem proteção aos usuários.

O grupo de reflexão americano “Peterson Institute for International Economics” publicou um artigo assinado em janeiro deste ano, dizendo que o TikTok está se tornando cada vez mais popular no exterior, e seu servidor também passa a armazenar mais informações dos usuários estrangeiros. A lei da China permite que o governo chinês (PCC) exija informações do usuário de software das empresas chinesas. Portanto, uma vez que o TikTok transmita as informações nos servidores estrangeiros de volta para a China e sendo entregues ao governo do PCC, isso representará uma ameaça à segurança do Ocidente. No final do artigo, o autor recomenda fortemente que os países europeus e americanos prestem máxima atenção ao TikTok e aos novos “riscos de segurança” trazidos por essas empresas chinesas de tecnologias.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas