Wen de Han, um imperador ético e cortês

Wen de Han, um imperador ético e cortês (Catherine Chang/The Epoch Times)

O Império Qin existiu apenas cerca de quinze anos antes da Dinastia Qin ser substituída pela Dinastia Han, que por sua vez durou mais de quatrocentos de anos (202 a.C.–220 d.C.). A principal lição que os imperadores da Dinastia Han aprenderam com a Dinastia Qin foi que a força poderia ser usada para conquistar outros Estados, mas não para governá-los. O governo ético era a única maneira de manter uma dinastia duradoura.

A Dinastia Han foi o período quando os sistemas políticos, legais, institucionais e filosóficos chineses foram fundados. Esta dinastia inclui dois períodos: o Han Ocidental e o Han Oriental. Durante a dinastia ocidental, houve um longo período de prosperidade e os chineses foram reconhecidos como o povo han. Desde então, os termos “povo han, caracteres han e costumes ou vestimentas han” têm sido utilizados até hoje.

O Imperador Wen (202-157 a.C.) foi o quinto imperador da Dinastia Han. Ele governou o país por 23 anos. Durante este período, o povo teve uma vida pacífica e tranquila. Isso foi um ponto de virada na Dinastia Han, que transformou uma nação devastada pela guerra numa economia em expansão.

A benevolência do Imperador Wen se manifestava de muitas maneiras. Aqui estão algumas delas.

Ele aboliu o castigo corporal e a culpa por associação ou de grupo. O Imperador Wen acreditava que as leis foram criadas para governar o país, prevenir crimes e orientar as pessoas para os bons comportamentos. Se o autor de um crime é punido de acordo com a lei, outros que são inocentes não devem ser implicados. Além disso, desde que as leis e regulamentos são justos, o povo seria imparcial; a aplicação correta das normas faria as pessoas acreditarem nelas.

O Imperador Wen ordenou que famílias nobres que viviam na capital retornassem para suas próprias terras feudais para que seus camponeses-inquilinos não tivessem de transportar suprimentos por uma longa distância. Assim, a nobreza também seria capaz de gerir suas regiões e populações com eficiência.

O estilo de vida do Imperador Wen era muito simples. Depois de reinar por 23 anos desde que se mudou para a capital, ele não acrescentou qualquer luxo ao local. As roupas que ele geralmente usava eram de qualidade normal e não requintadas. Isto deu um exemplo à nação. Ele ordenou que seu túmulo não tivesse qualquer metal decorativo como ouro ou prata. Em seu lugar, somente cerâmica seria usada. Sua ordem também dizia que a tumba deveria ter um tamanho moderado para não sobrecarregar o povo.

Ele aboliu o crime de difamação à corte real e por críticas a assuntos políticos. Ele pensava que aceitar sugestões poderia abrir caminhos no governo do país e poderia impedir o voluntarismo.

Quando tratando de questões de defesa de fronteira, o Imperador Wen decidia entre guerrear e negociar diplomaticamente de acordo com o bem-estar do povo. Embora os hunos do Norte tenham violado repetidamente acordos bilaterais e invadido a China, o Imperador Wen apenas ordenava que as tropas fortalecessem a defesa e não declarassem guerra aos hunos, pois ele não queria trazer preocupações e dificuldades para seu povo.

Em 159 a.C., secas ocorreram em todo o país, seguidas por pragas de gafanhotos. O Imperador Wen tomou uma série de medidas para ajudar o povo: ele isentou os lordes de pagarem tributos, levantou a proibição de se desenvolver montanhas e lagos, reduziu os gastos com itens de luxo no palácio, cortou o número de funcionários e abriu os celeiros para os pobres.

Além de ser um governante benevolente, o Imperador Wen também mostrou grande amor filial e obediência. Sua mãe esteve doente de cama por três anos e ele frequentemente ficava acordado a noite para cuidar dela. Toda vez que sua mãe ia se medicar, ele insistia em tentar o medicamento em si primeiro, para garantir que era seguro.

Durante seu reinado, a ética e a cortesia foram altamente valorizados, assim, a estabilidade social foi mantida e o povo viveu pacificamente e a economia se recuperou de décadas de guerra e prosperou. A Dinastia Han Ocidental foi uma das raras “sociedades harmoniosas” da história chinesa.

Para conhecer outras figuras históricas da antiga China, clique aqui.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas