Número de mortes na Itália por Covid-19 chega a 3.405 e supera o da China

Por Agência EFE

ROMA – O número de mortes na Itália pela Covid-19 aumentou em 427 desde ontem e chegou a 3.405 nesta quinta-feira, o que fez o país ultrapassar a China (3.245), que até então tinha o maior registro de vítimas que faleceram devido à doença transmitida pelo novo coronavírus.

Já o número de casos positivos para Covid-19 na Itália é de 33.190, sendo que 4.440 pessoas se curaram, de acordo com um boletim divulgado em entrevista coletiva pelo chefe da Defesa Civil do país, Angelo Borrelli.

A região da Lombardia contabilizou 2.168 mortes e quase 20 mil casos da doença. A pandemia também causou muitas baixas na Emilia-Romagna, com 5.214 casos e 531 mortes. EFE

O total dde pessoas internadas com sintomas da doença chegou a 15.757 (era de 14.363 ontem), e o de infectados em unidades de tratamento intensivo subiu de 2.257 na quarta-feira para 2.498 hoje.

Na entrevista diária concedida para atualizar o dramático saldo entre mortos e infectados na Itália, também foi dada uma mensagem positiva – a de que há 300 crianças com coronavírus, mas “não há vítimas ou casos graves”, segundo o presidente da sociedade pediátrica italiana, Alberto Villani, que também participou da coletiva.

“Quero garantir a muitos pais e avós que não há nenhum problema pediátrico e que, quando há sintomas, o pediatra deve ser consultado e, juntos, decidirem o que fazer. Mas, neste momento, o coronavírus em si não é um problema para as crianças”, afirmou.

O que está se tornando um grande problema é a falta de leitos nas unidades de tratamento intensivo e a falta de funcionários, além dos muitos médicos que estão sendo infectados e até morrendo – só hoje, três morreram na região da Lombardia.

 
Matérias Relacionadas