Novo chanceler uruguaio afirma que Venezuela vive uma ditadura

Por EFE

Montevidéu, 20 jul – O novo ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Francisco Bustillo, afirmou nesta segunda-feira, durante a apresentação das linhas que seu próximo governo seguirá, que Venezuela vive “uma ditadura”, ao contrário dos seus antecessores.

“De acordo com o direito internacional público, normas democráticas, minha própria convicção, a do presidente da República, a de todo o governo, não tenho dúvidas de que a de qualquer habitante nascido na terra de Artigas (herói do Uruguai): com liberdade não ofendo nem temo, a Venezuela é uma ditadura”, enfatizou.

No entanto, disse que o Uruguai “não tem vocação para ser um gendarme internacional”, portanto, não lhe compete apontar ou perseguir ditaduras.

Da mesma forma, ele sustentou que permanecerá em grupos que buscam uma solução pacífica para o conflito venezuelano, embora não promova mais diálogos devido à “falta de vontade de uma das partes” em referência ao governo de Nicolás Maduro.

Quando perguntado sobre a Bolívia, o chanceler disse que o país está em um processo eleitoral “pelo bem da recuperação da democracia em todo o seu esplendor”, embora tenha notado que seu país não persegue governos nem aponta o dedo.

Bustillo assumiu o cargo no lugar de Ernesto Talvi, que deixou o Ministério no início de julho. Embaixador uruguaio na Espanha, ele desembarcou no último dia 5 em Montevidéu.

 
Matérias Relacionadas