Nova vitória de conservadores, contrariando pesquisas, agora na Austrália. Vencedor fala em “milagre”

Coalizão liderada por Scott Morrison vence eleições, contraria pesquisas que davam vitória a trabalhistas e segue no governo do país

Por André Assi Barreto, Senso Incomum

As pesquisas de intenção de voto (haveria uma filial do Datafolha na Austrália?) para a eleição australiana desse sábado (18) acusavam suposta vitória do Partido Trabalhista, de esquerda, na Austrália. Mas segundo fala do próprio vencedor, milagre foi operado e coalizão à direita venceu no país. O choro da ala “progressista” e os ataques ao distrito de “Queensland” só reforçam que a esquerda tem o mesmo discurso em qualquer lugar do planeta.

Trecho do discurso de vitória de Scott Morrison pode ser visto aqui:

Choro de esquerdistas podem ser vistos por todo o Twitter, basta procurar pela tag #ausvotes. Muçulmana lacradora vê elo entre eleição de Donald Trump, Brexit e as eleições de hoje na Austrália:

Distrito de Queensland foi decisivo para a manutenção da coalizão de direita, o que despertou a ira da turma “do bem”. Basta conferir a tag #Queensland no Twitter também:

New Queensland tourism slogan: beautiful one day, sending Australia into a hellscape of xenophobia, sexism, classicism, populist cruelty and environmental diseaster as this country disappears into the water and destroys itself, the next #ausvotes

— Nakkiah Lui (@nakkiahlui) 18 May 2019

As desculpas são as de sempre: sexismo, xenofobia, negacionismo do aquecimento global etc.

O G1, poucas horas antes da eleição, noticiava as pesquisas que davam vitória aos trabalhistas.

Apesar da coalizão incluir liberais e conservadores, a ala atual (e vitoriosa) é de linha mais dura com imigração e histeria climática. Ainda não há certeza se governarão sozinhos (o que exigiria 72 cadeiras no Parlamento), mas a vitória já é certa e o concorrente Trabalhista já admitiu derrota e pediu demissão da condição de líder do partido.

(SAEED KHAN/AFP/Getty Images)
(SAEED KHAN/AFP/Getty Images)

Andre Assi Barreto é professor de Filosofia e História das redes pública e privada de São Paulo. Aluno do professor Olavo de Carvalho. Mestre em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Também trabalha com revisão, tradução e palestras. Autor de “Saul Alinsky e a Anatomia do Mal” (ed. Armada, 2019)

 
Matérias Relacionadas