Nova taxa de entrada em antiga cidade chinesa prejudica os negócios

Em 11 de abril, milhares de comerciantes da antiga Cidade da Fênix marcharam contra o novo regulamento das autoridades de “taxar toda a cidade” (Cortesia da fonte)

Uma nova taxa foi introduzida na antiga Cidade da Fênix, um destino turístico popular na província de Hunan, famosa por sua história e cultura. Ela costumava estar aberta ao público, mas não mais, graças aos oficiais locais.

Diz a lenda que duas fênix míticas acharam a aldeia tão bela que voaram por um longo tempo sobre ela relutando em partir. Hodiernamente, os turistas visitam-na para ter uma ideia de que como a China tradicional e ancestral se parecia.

Desde 10 de abril, cada pessoa que visita a aldeia tem de comprar um bilhete de 148 yuanes (US$ 24), mesmo que vá apenas para ver a família. Esta taxa é mais de um terço da renda mensal rural. O novo regulamento reduziu dramaticamente o número de turistas que vão à cidade, deixando indignados os comerciantes locais e donos de lojas.

O Sr. Long, um residente local, disse ao Epoch Times que o número de clientes caiu significativamente. “Gerações de pessoas têm vivido na antiga Cidade da Fênix e, agora, amigos e parentes em visita têm de pagar ingresso; isso é inaceitável”, disse ele. “Isso está afetando os empregos de dezenas de milhares de pessoas.”

No dia seguinte à introdução do novo pedágio, milhares de comerciantes fizeram uma marcha de protesto contra a nova regulamentação das autoridades de “taxar toda a cidade”.

Outro local, o Sr. Ma, disse ao Epoch Times que até mesmo os turistas se juntaram aos protestos. “Quase todas as lojas foram fechadas com comerciantes e donos de negócios participando na marcha, porque os fornecedores se opuseram fortemente.”

Mais de 500 agentes da polícia e forças de segurança chegaram ao local e prenderam cerca de 10 manifestantes e espancaram muitos outros, segundo o morador local Sr. Long.

Durante um protesto em 11 de abril na antiga Cidade da Fênix na China, milhares de comerciantes participaram e as autoridades enviaram numerosas tropas de choque para lidar com os manifestantes (Cortesia da fonte)

Um empresário de outra região chamado Sr. Huang acrescentou, “Na época, a cena estava muito confusa e uma pilota de balsa foi espancada até sangrar. Somos um grupo vulnerável, por isso, não temos escolha senão nos manifestarmos.”

Relatos oficiais alegaram que o governo local tem direito a mais de 40% do dinheiro gerado com a venda dos ingressos, já que supostamente carece de fundos e “não está bem”, segundo Zhen Jun, o secretário de turismo do condado de Fenghuang. A reação da população local é que as autoridades comunistas estão simplesmente roubando o dinheiro.

“O governo só tem duas agendas principais: dinheiro e garotas”, blogou Cao Junshu, um escritor da província de Anhui. “Mesmo o governo sendo tão sem-vergonha, ele ainda finge que fez isso para beneficiar os turistas. Eles estupram alguém e dizem que era para fazer essa pessoa confortável; essa é a lógica geral e típica de um regime completamente obcecado pelo dinheiro.”

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas