Nova liderança comunista chinesa penetra redutos de antiga facção

O novo líder chinês Xi Jinping (direita) e o ex-líder Hu Jintao que acaba de se aposentar, após o 18º Congresso Nacional em novembro passado (Getty Images)

O líder chinês Xi Jinping e o ex-líder Hu Jintao que acaba de se aposentar têm trabalhado duro reposicionando oficiais importantes para solidificar a base de poder de sua facção, enquanto reduzem a influência do ex-líder chinês Jiang Zemin e sua camarilha.

Somente no ano passado, Hu Jintao foi capaz de emergir da sombra de Jiang Zemin, em grande parte devido à turbulência política provocada pelo escândalo de Bo Xilai que começou em fevereiro de 2012. Atualmente, a facção de Hu Jintao e Xi Jinping tem total controle dos militares, enquanto os apoiadores de Jiang Zemin foram expulsos do núcleo das forças armadas da China antes do 18º Congresso Nacional que ocorreu em novembro passado.

Desde então, Hu Jintao e Xi Jinping nomearam seus próprios homens de confiança para posições-chave no Comitê Central, no Conselho de Estado e em comitês provinciais do Partido Comunista Chinês (PCC), deixando a facção de Jiang Zemin com a maioria no Comitê Permanente do Politburo, o órgão principal de poder na China.

Mas apesar a facção de Jiang Zemin reter quatro dos sete posições no Comitê Permanente, na realidade, eles estão presos lá. Os arranjos de posições para os seguidores de Jiang Zemin em níveis mais baixos não são nada mais do que uma salvaguarda para prevenir que sua facção inicie uma luta de vida ou morte neste momento.

Militares

Os arranjos de pessoal de Xi Jinping e Hu Jintao foram realizados em quatro ondas, começando com o exército – o PCC ainda segue o ditado maoísta de que o poder vem do cano de uma arma.

A facção de Jiang Zemin foi totalmente destituída dos cargos de presidente e vice-presidente do Comitê Militar Central (CMC), a sede dos quatro generais do CMC – o Departamento Geral de Pessoal, o Departamento Político Geral, o Departamento Geral de Logística e o Departamento Geral de Armamento do Exército da Liberação Popular (ELP) –, bem como de todos os ramos principais e regiões militares.

Politburo

A segunda onda da remodelação foi no Politburo (Gabinete Político) do Comitê Central.

Entre os sete membros do Comitê Permanente, o status de Li Keqiang, o sucessor do premiê Wen Jiabao, foi elevado para segundo lugar e Wang Qishan, o novo chefe anticorrupção do PCC, tem se aproximado de Xi Jinping.

Dos 25 membros do Politburo, 15 estão no campo de Hu Jintao e Xi Jinping, são eles: Xi Jinping, Li Keqiang, Wang Yang, Li Yuanchao, Liu Yandong, Ma Kai, Wang Huning, Liu Qibao, Xu Qiliang, Fan Changlong, Sun Chunlan, Zhao Leji, Hu Chunhua, Guo Jinlong e Sun Zhengcai.

Embora o campo de Hu Jintao e Xi Jinping não tenha a maioria no Comitê Permanente do Politburo, eles de fato têm o controle do Politburo. Com Xi Jinping, Li Keqiang e Wang Qishan no Comitê Permanente e seus homens detendo a maioria dos assentos no Politburo, os quatro membros da facção de Jiang Zemin no Comitê Permanente são de certa forma figurantes.

Posições provinciais do PCC

A terceira onda de rearranjos de pessoal visou os chefes dos comitês provinciais do PCC.

Ajustes em 11 províncias, regiões autônomas e municípios diretamente sob a Central do PCC resultaram em sete altos oficiais com histórico da Liga da Juventude, a base política de Hu Jintao, sendo nomeados secretários do PCC. São eles: Sun Chunlan para o município de Tianjin, Wang Rulin para a província de Jilin, Zhao Zhengyong para a província de Shanxi, Xia Baolong para a província de Zhejiang, You Quan para a província de Fujian, Hu Chunhua para a província de Guangdong e Peng Qinghua para a província de Guangxi.

Conselho de Estado

A quarta onda de arranjos de pessoal de Hu Jintao e Xi Jinping ainda não ocorreu, mas é esperada durante a convocação do Congresso Nacional Popular e da Conferência Consultiva Política Popular que ocorrerá em março em Pequim.

Nesse tempo, o ajuste de pessoal para o Conselho de Estado estará concluído. Os seguidores do campo de Hu Jintao e Xi Jinping, incluindo Wang Yang e Li Yuanchao, que não foram capazes de obter um assento no Comitê Permanente do Politburo, terão uma chance de garantir postos-chave na administração, para complementar suas indicações no PCC. Assim, a contenção da facção de Jiang Zemin estará completada.

Os três antigos bastiões de Jiang Zemin

Na última década, a facção de Jiang Zemin costumava ter três fortalezas: o Departamento Geral de Pessoal do ELP, o Comitê dos Assuntos Político-Legislativos (CAPL) e a cidade de Shanghai. Todos desmoronaram em torno do 18º Congresso do PCC.

O Departamento Geral de Pessoal do ELP

O Departamento Geral de Pessoal do ELP foi tomado pelo general Fang Fenghui, aliado de Hu Jintao, antes do 18º Congresso.

Com a posição de chefe do departamento, Fang Fenghui assumiu o controle do poder militar para mobilizar o exército e comandá-lo em batalhas. Ao mesmo tempo, ele limpou a fortaleza da facção de Jiang Zemin no exército controlando os dois principais departamentos de inteligência do PCC, conhecidos como 1º e 2º Departamentos Gerais de Pessoal.

O Comitê dos Assuntos Político-Legislativos

O CAPL, que supervisiona o massivo aparato de segurança pública do PCC, teve seu poder contestado após a tentativa de golpe de Estado no ano passado de seu ex-chefe Zhou Yongkang e do desgraçado Bo Xilai, um ex-membro do Politburo. A colocação de Zhou Yongkang por Jiang Zemin no topo do CAPL e no Comitê Permanente do Politburo tinha restringido e enfraquecido severamente a liderança Hu Jintao e Wen Jiabao até antes do ano passado, último ano do mandato de dez anos destes.

O CAPL controla todo o sistema judiciário do PCC, sendo responsável pela polícia, a polícia militar, a procuradoria e os tribunais. Com a aposentadoria de Zhou Yongkang e sua saída da chefia do CAPL e do Comitê Permanente, a facção de Jiang Zemin perdeu seu covil no CAPL.

A cidade de Shanghai

Shanghai, o bastião de Jiang Zemin, também caiu. O novo secretário do Partido Comunista de Shanghai, Han Zheng, rompeu com a facção de Jiang Zemin em 2006, quando ele forneceu ao Comitê Central de Inspeção Disciplinar uma grande quantidade de provas contra Huang Ju e Chen Liangyu, que eram representantes de Jiang Zemin.

A promoção de Yang Xiong, um capanga de Jiang Zemin, como prefeito interino de Shanghai, veio direto do Comitê Central e não do Comitê Municipal de Shanghai. Desde que a facção de Jiang Zemin perdeu todos os seus redutos, Hu Jintao e Xi Jinping concederam esta posição nominal em Shanghai para estabilizar a facção de Jiang Zemin e prevenir que eles começassem uma luta de vida ou morte antes que Xi Jinping consolidasse sua posição firme.

Epoch Times publica em 35 países em 20 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas