Nada de novo: movimento de ‘antifascistas’ adota práticas fascistas

Movimento desorganizado e violento de extrema esquerda, nasceu nos anos 1960 na Europa e ganhou popularidade recente nos EUA e em todo o mundo

Por Diário do Poder

Alvo de suposto dossiê a área de inteligência do governo federal, o grupo autointitulado “Antifascista”, ou simplesmente “Antifa”, é um movimento desorganizado e violento de extrema esquerda, que nasceu nos anos 1960 na Europa e ganhou popularidade recente nos EUA. Ativistas se concentram em combater, até com violência e quebradeira, autoridades que consideram “de direita”. Exatamente como os “camisas negras”, os verdadeiros fascistas, agiam na Itália de Benito Mussolini. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A ADL, principal organização “anti-ódio” dos EUA, que define o que são grupos de ódio, classifica o Antifa apenas como “anarquista”.

A ADL explica que “antifa” não tem organização central, mas ao menos reconhece “tendência a protestos violentos, danos à propriedade” etc.

O “antifa” virou piada na internet, após ganhar notoriedade nos recentes protestos contra o racismo nos EUA. Mas é um movimento real.

 
Matérias Relacionadas