ARTIGO - Publicado em - Atualizado em 31/08/2017 às 15:59

Para as mulheres, é bom ter um pouco de gordura abdominal

(Jacob Lund/Shutterstock)

Para aquelas mulheres que, a vida inteira, estiveram ansiosas por uma barriga cada vez mais sarada, é hora de relaxar e amar este corpo forte e saudável que você tem. Acontece que, apesar de um abdômen super magro, estilo tanquinho, ficar lindo de biquíni, na verdade ele talvez não seja a coisa mais saudável para o seu corpo. Essa gordurinha abaixo do seu umbigo é completamente natural – e é algo bom.

Vamos analisar alguns números. A quantidade basilar de gordura para uma mulher é em torno de 10% a 12% do peso corporal. Esse é o mínimo para uma vida saudável. Compare isso com os 2% a 4% dos fisiculturistas masculinos, e você começará a entender o quão importante é a gordura corporal para as mulheres. Quando nosso percentual de gordura diminui para menos que 13%, como provavelmente ocorrerá caso você esteja buscando a barriga tanquinho, podem surgir problemas sérios no equilíbrio hormonal. Por quê? Acredite ou não, aquela gordurinha na sua barriga te ajuda a manter uma produção saudável de estrogênio.

Assim como as mulheres com excesso de gordura costumam ter altos níveis de estrogênio, as mulheres com baixa porcentagem de gordura corporal correm maior risco de terem uma baixa produção do hormônio. Isso ocorre porque a gordura do corpo acumula e libera pequenas quantidades de estrogênio.

O estrogênio, se você ainda não adivinhou, é um hormônio muito importante. Além de regular o ciclo menstrual, ele é responsável por equilibrar os níveis de colesterol, desenvolver e manter os seios saudáveis, regular o humor, manter os ossos e a pele saudáveis, entre outras coisas. Como mulher, quando o nosso nível de estrogênio está abaixo do desejável, muitas coisas podem sair do controle.

Em geral, uma mulher com baixíssima gordura corporal pode acabar com ossos frágeis, reduzida capacidade imunológica e o caos absoluto no sistema reprodutor. Em vez de permitir o seu progresso e felicidade, pouca gordura faz o corpo entrar em modo de sobrevivência. Se você não é uma atleta profissional ou uma fisiculturista, buscar a barriga tanquinho pode não ser o melhor interesse do seu corpo.

Se você tem lutado contra uma gordura extra no seu abdômen inferior, é hora de aceitá-la e amá-la, em vez de tentar jogá-la no abismo. Significa que você está saudável. Claro, isso não significa que você deve comer um pacote de 1kg de Doritos. Muita gordura, como já sabemos, também é prejudicial. Apenas busque o equilíbrio e a moderação, e não tente forçar o seu corpo a ser algo que ele não é.

Pare de dar atenção à propaganda e às redes sociais que lhe dizem como você deve ser. Uma barriga chapada pode não ser o melhor para você afinal – e definitivamente não irá resolver os seus problemas ou deixá-la mais feliz. Nós, mulheres, precisamos começar a aprender a aceitar e amar o corpo que temos, começando com essa adorável e teimosa região abdominal abaixo do umbigo.

Esse artigo foi originalmente publicado no www.Care2.com. Leia o original aqui.

Originalmente publicada em: Care2 Ir para a home do Epoch TimesVer original
Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016