Movimento fundado por Oswaldo Payá propõe medidas para isolar o regime comunista de Cuba

Por Alicia Marquez

O Movimento Cristão de Libertação (MCL) fundado pelo falecido Oswaldo Payá na terça-feira propôs medidas para isolar o regime comunista de Cuba em uma “resposta enérgica” às repressões contra os protestos pacíficos de 11 de julho na ilha.

O MCL lançou uma campanha de 11 medidas de isolamento contra o regime cubano atualmente liderado por Miguel Díaz-Canel , como uma resposta enérgica à repressão lançada pelo regime comunista em Cuba.

O MCL em comunicado afirmou : “também são necessárias medidas concretas de isolamento internacional, como as implementadas contra o regime do apartheid da África do Sul”, visto que “as declarações de condenação não bastam para que as forças militares do regime cubano saibam ” que a comunidade internacional não tolerará a impunidade da ditadura ”.

As medidas propostas são que:

1. Está excluída a participação do regime cubano em todos os fóruns, cúpulas e eventos internacionais;

2. Cuba é investigada e condenada no âmbito do Conselho de Direitos Humanos da ONU por suas violações;

3. Todos os acordos de cooperação econômica e militar com a ditadura cubana estão suspensos, como o Acordo entre a UE e Cuba;

4. Nenhuma linha de crédito é concedida ao regime cubano;

5. Desencorajar o investimento estrangeiro e o turismo internacional em Cuba;

6. O boicote aos produtos exportados de Cuba, diretamente pelo regime ou por meio de empresas estrangeiras associadas à tirania;

7. Um embargo internacional a armas e equipamentos repressivos é decretado contra Cuba;

8. A participação de Cuba em todos os eventos esportivos, culturais e acadêmicos internacionais é suprimida;

9. Os vistos não são concedidos ou revogados a funcionários da junta político-militar e seus familiares, bem como a membros do Partido Comunista de Cuba e a todos os membros de organizações e instituições que apoiem ​​ou participem de atos repressivos contra o povo. ;

10. Canais de envio de ajuda humanitária são fornecidos como parte desta campanha para isolar o regime e em solidariedade ao povo cubano.

11. É criada uma comissão internacional de apoio à democracia em Cuba para promover a implementação dessas e outras medidas e assegurar o seu cumprimento.

Essas medidas propostas pelo MCL são “até que a ditadura liberte incondicionalmente todos os detidos por participarem de manifestações pacíficas e todos os presos políticos e prisioneiros de consciência, e realize eleições livres e plurais”, disse o comunicado.

O Movimento Cristão de Libertação (MCL), segundo seu site, foi fundado em Havana em setembro de 1988 por Oswaldo Payá, Ramón Antúnez, Dagoberto Capote Mesa, Fernando Avedo e Santiago Cárdenas, buscando uma mudança pacífica e democrática e o respeito pela dignidade humana em Cuba .

Durante a campanha de repressão do regime comunista cubano conhecida como Primavera Cubana de 2003, 17 membros do MCL eram prisioneiros de consciência.

Em 22 de julho de 2012, em circunstâncias pouco claras, Oswaldo Payá e o ativista Harold Cepero morreram durante uma viagem a Santiago de Cuba.

O Epoch Times contatou a ativista de direitos humanos Rosa María Payá e a filha de Oswaldo Payá por seus comentários sobre a proposta.

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também

 
Matérias Relacionadas