Moscou considerará pagamentos em Bitcoin, ouro e rublo por gás natural

Rússia está aberta a ser paga por seus produtos energéticos em ouro, moedas locais e até Bitcoin

Por Naveen Athrappully 

A Rússia está aberta a ser paga por seus produtos energéticos em ouro, moedas locais e até Bitcoin, disse Pavel Zavalny, chefe do comitê de energia na câmara baixa da Legislatura russa, durante uma coletiva de imprensa em 24 de março.

O ministro apontou a China e a Turquia como nações “amigáveis” que ainda não aplicaram sanções à Rússia pela invasão da Ucrânia por Moscou, informou a BBC. Como tal, essas duas nações podem comprar suprimentos de energia russos em suas moedas locais.

“Há muito tempo estamos propondo à China que mude para acordos em moedas nacionais para rublos e yuans. Com a Turquia, serão liras e rublos”, disse Zavalny. “Você também pode negociar bitcoins”.

Os comentários de Zavalny vieram um dia depois que o presidente russo, Vladimir Putin, pediu aos países “hostis” que comprassem o gás e o petróleo de seu país em rublos, um anúncio que fez com que os preços do gás subissem e elevassem o valor da moeda.

A lista de nações hostis de Moscou inclui Estados Unidos, Grã-Bretanha, Ucrânia, Suíça, Coreia do Sul, Cingapura, Noruega, Canadá e Japão. Quaisquer negócios com indivíduos ou empresas desses países precisam ser aprovados primeiro por uma comissão criada pelo governo.

“A Rússia continuará, é claro, a fornecer gás natural de acordo com volumes e preços… fixados em contratos previamente celebrados”, disse Putin durante uma reunião televisionada. “As mudanças afetarão apenas a moeda de pagamento, que será alterada para rublos russos”.

As sanções impostas pelos países ocidentais pressionaram imensamente a economia russa, elevando a inflação a níveis recordes e elevando os custos em necessidades básicas. O valor do rublo caiu acentuadamente desde as sanções e caiu mais de 20 por cento até agora em 2022.

A União Europeia depende da Rússia para cerca de 40 por cento de seu gás. Se Moscou insistir que a UE pague em rublos, isso não apenas prejudicará o impacto das sanções, mas também poderá ajudar a impulsionar o rublo.

No entanto, o uso do Bitcoin como meio de pagamentos comerciais vem com seu próprio conjunto de problemas, incluindo a estabilidade do valor da criptomoeda.

O valor do Bitcoin subiu 30 por cento este ano em contraste com o dólar americano, que foi negociado dentro de uma faixa de apenas 5 por cento em relação ao euro, disse David Broadstock, pesquisador sênior do Instituto de Estudos de Energia em Cingapura, à BBC.

“Aceitar claramente o Bitcoin, em comparação com outras moedas tradicionais, apresenta um risco consideravelmente maior no comércio de gás natural”, disse Broadstock. “Além disso, um dos principais parceiros comerciais ‘amigáveis’ para a Rússia é a China, e a criptomoeda é proibida para uso na China. Isso claramente limita o potencial de pagamento usando Bitcoin”.

A Reuters contribuiu para esta reportagem.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas