Moscou acusa Reino Unido de suscitar “histeria” contra a Rússia

Embaixador russo acusou o Ocidente de criar "um mundo de pós-verdades", no qual "notícias falsas" são suficientes para declarar alguém culpado

Por Agência EFE

A Rússia rejeitou nesta quinta-feira (6) na ONU as acusações do Reino Unido sobre sua suposta participação no envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia, e acusou Londres de suscitar uma “histeria anti-Rússia”.

“Londres precisa de uma história com um único objetivo: suscitar uma repugnante histeria anti-Rússia e arrastar outros países a ela”, disse o embaixador da Rússia nas Nações Unidas, Vasyl Nebenzia.

O diplomata, como já tinha feito seu governo, questionou hoje a investigação britânica sobre o ataque do último dia 4 de março na cidade inglesa de Salisbury.

Nebenzia se pronunciou no Conselho de Segurança da ONU convocado por Londres, que ontem identificou dois cidadãos russos como supostos responsáveis pelo envenenamento, pelo qual culpa o Serviço de Inteligência Militar Russo (GRU).

Segundo o diplomata russo, o relato britânico está cheio de inconsistências e não apresenta nenhuma prova conclusiva.

Nebenzia acusou o governo do Reino Unido de apresentar uma série de “mentiras sem fundamento” desde o início do caso e disse que os anúncios feitos ontem pela primeira-ministra britânica, Theresa May, não ofereceram nada de novo.

O embaixador acusou o Ocidente de criar “um mundo de pós-verdades”, no qual “notícias falsas” são suficientes para declarar alguém culpado.

Além disso, criticou o Reino Unido por não querer cooperar em nenhum momento com a Rússia para esclarecer o ocorrido em Salisbury e por não permitir aos Skripal acesso aos serviços consultares russos.

 
Matérias Relacionadas