Mortes de imigrantes sob governo Trump estão praticamente inalteradas desde a era Obama

Dados contradizem narrativa de muitos democratas de que o atual governo é menos humano com os estrangeiros que são pegos tentando entrar ilegalmente no país

Por The Daily Caller

Os imigrantes detidos pela Agência de Imigração e Alfândega (ICE, na sigla em inglês) sob o governo Trump estão morrendo virtualmente na mesma taxa que durante o governo Obama.

Durante o primeiro ano do ex-presidente Barack Obama no cargo, 10 estrangeiros morreram sob custódia do ICE. Cinco faleceram em 2012 e 12 morreram em 2016, segundo dados do ICE obtidos pelo Washington Examiner. Os números não estão longe dos primeiros dois anos do presidente Donald Trump no cargo.

Dez detidos morreram em 2017 e 12 morreram em 2018, segundo a American Immigration Lawyers Association. Não houve mortes relatadas no ano fiscal de 2019 a partir de 5 de março.

Migrants run from tear gas, thrown by the U.S. border patrol,
Os migrantes correm de gás lacrimogêneo, jogados pela patrulha de fronteira dos EUA, perto da fronteira entre o México e os Estados Unidos, em Tijuana, México, em 25 de novembro de 2018 (Hannah McKay / Reuters)

Não só as mortes atuais estão a par da administração Obama, mas elas permanecem bem menores do que os números de cerca de 15 anos atrás. Trinta e duas pessoas morreram no ano de 2004 e 20 morreram em 2005. Um número muito maior de estrangeiros foi pego atravessando a fronteira Estados Unidos-México durante a década de 1990 e início de 2000, o que levou à detenção de mais imigrantes do que atualmente.

Os dados contradizem uma narrativa empurrada por muitos democratas de que o atual governo é menos humano com os estrangeiros que são pegos tentando entrar ilegalmente no país.

Central American migrants are blocked by Mexican police forces as they reach the El Chaparral border crossing, in Tijuana, Baja California State, Mexico
Os migrantes da América Central são bloqueados pelas forças policiais mexicanas quando chegam à fronteira de El Chaparral, em Tijuana, Estado de Baja California, México, em 25 de novembro de 2018 (Pedro Pardo / AFP / Getty Images)

“Senhora Secretária, você sabe quantas crianças morreram sob custódia do CBP sob seu mandato como secretário?” O deputado democrata Xochitl Torres Small, do Novo México, pediu quarta-feira durante uma audiência do comitê do Congresso da Casa com Kirstjen Nielsen. “Você pode me dar os números de quantas crianças morreram?”

Enquanto falava numa prefeitura em janeiro em relação à imigração, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, afirmou que a posse de Trump foi “um afastamento” de todas as presidências modernas e culpou as mortes de duas crianças que morreram sob custódia por falta de assistência médica adequada.

Por Jason Hopkins

Siga Jason no Twitter.

 
Matérias Relacionadas