Morgan Stanley proíbe funcionários e convidados não vacinados de entrar nos seus escritórios de Nova Iorque

Por Jack Phillips

O gigante bancário Morgan Stanley não permitirá que seus funcionários ou convidados entrem em seus escritórios na área metropolitana de Nova Iorque sem estarem vacinados contra o COVID-19 , de acordo com um memorando interno.

“A partir de 12 de julho, todos os funcionários, temporários, clientes e visitantes serão obrigados a certificar que estão totalmente vacinados para acessar os edifícios Morgan Stanley na cidade de Nova Iorwur e Westchester”, escreveu o diretor de recursos humanos Mandell Crawley na nota aos funcionários, obtida pelo Financial Times e posteriormente confirmada por um porta-voz do Morgan Stanley.

Pessoas que dizem que não estão totalmente vacinadas perderão o acesso aos prédios, afirma o memorando. Os funcionários que não forem totalmente vacinados poderão continuar trabalhando em casa, de acordo com Crawley.

O memorando de Crawley também observa que a “esmagadora maioria” dos trabalhadores já relatou que foram vacinados, informou o Financial Times.

Não está claro se haverá penalidades futuras para funcionários que não foram vacinados – ou não estão dispostos a fazê-lo – contra o COVID-19. Também não está claro como a empresa implementará sua política de vacinação.

Michael Corbat do Citigroup, Jamie Dimon do JPMorgan Chase, James Gorman do Morgan Stanley e Brian Moynihan do Bank of America ouvem durante uma audiência do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Representantes em Washington em 10 de abril de 2019. Sete CEOs dos maiores bancos do país foram chamados para declarar década após a crise financeira global (Alex Wroblewski / Archive / Getty Images)

O Epoch Times entrou em contato com Morgan Stanley para comentarios. Um porta-voz confirmou ao Business Insider e outros meios de comunicação na terça-feira que o memorando mencionado no relatório do Financial Times é autêntico.

O presidente-executivo do banco de investimento, James Gorman, disse durante uma teleconferência em 14 de junho que “mais de 90 por cento” dos funcionários da empresa estão vacinados. “Se você pode ir a um restaurante em Nova Iorque, pode vir ao escritório e queremos você lá”, comentou também.

Mas depois que o verão acabar, disse ele, os funcionários do Morgan Stanley que trabalham em Wall Street terão que retornar.

“Para o Dia do Trabalho, ficarei muito desapontado se as pessoas não conseguirem entrar no escritório e então teremos outro tipo de conversa ” , disse Gorman , sugerindo que poderia haver um corte de pagamento se os funcionários trabalharem fora de seu escritório local designado.

“Se você quiser coletar as taxas de Nova Iorque, trabalhe na cidade. Nada disso: ‘Estou no Colorado … e eles me pagam como se eu estivesse em Nova Iorque’ “, acrescentou. “Sinto muito. Isso não funciona “.

O CEO disse que a empresa terá uma política COVID-19 flexível em diferentes áreas, dizendo que implementará uma política de trabalho híbrida que não será “ditatorial” e que a administração estudará os pedidos das pessoas para trabalhar à distância.

“Não acho que fazer uma declaração geral para todos os funcionários seja útil”, disse Gorman. “Não acho que falar para funcionários que trabalham na 1585 Broadway na Times Square é o mesmo que falar para um pequeno escritório em Topeka.”

A gigante de investimentos BlackRock, por sua vez, adotou uma política de vacinas semelhante. A Goldman Sachs está pedindo aos visitantes e funcionários não vacinados que usem máscara facial nas áreas comuns.

COVID-19 é a doença causada pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês).

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Twitter.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas