“Eles estão tentando destruir a América moralmente”: ativista ressalta como a cultura da pornografia está arruinando a sociedade

Hollywood e os políticos sabem o que está acontecendo, mas eles não estão fazendo nada sobre isso

Por Venus Upadhayaya, The Epoch Times

Enquanto o caso de Epstein continua sendo notícia e se esconde sobre a consciência americana, um ativista contra o tráfico sexual e diretor de um novo filme sobre tráfico sexual infantil, aponta um problema social profundamente arraigado que começa com a cultura difundida da pornografia infantil.

Jaco Booyens é o produtor e diretor do filme recém-lançado, 8 Days, um longa que fala sobre o hediondo crime de tráfico sexual infantil nos Estados Unidos. Filmado por uma equipe de cineastas independentes da After Eden Pictures, o filme é baseado em fatos reais que retratam a escravidão sexual moderna no país.

Em uma entrevista ao Epoch Times, Booyens surge como alguém que tem a responsabilidade moral de contar essa história. Ele quer conscientizar as pessoas de que as coisas estão acontecendo “bem debaixo de nossos narizes em todos os setores” e que precisamos proteger nossos filhos. Booyens quer que as pessoas entendam como o problema do tráfico sexual de crianças está profundamente enraizado na cultura da pornografia.

“A oferta atende à demanda, então o que está criando a demanda por sexo com menores? Eles descobriram que, em mais de 99% das vezes, quando se encontra indivíduos que estão envolvidos no crime, eles também são viciados em pornografia”, disse Booyens, cuja própria irmã foi vítima do tráfico sexual infantil na África do Sul,em 1994.

“The sex trade is dependent on children. Exploiters know that once they lure a child into the sex industry, the child is…

Posted by 8 days on Monday, August 12, 2019

Cultura da pornografia profundamente enraizada

Booyens trabalha com 56 organizações em todo o mundo envolvidas no resgate e prevenção do tráfico sexual infantil, e diz que quando um rapaz ou uma mulher assiste à pornografia pela primeira vez, uma reação psicológica acontece.

“É uma experiência sexual, como um membro da família que toca de forma inadequada em uma criança ou quando uma criança entra em um quarto e vê seus pais assistindo pornografia.”

“Há uma decisão tomada na mente da criança naquele momento que é amor, é claro, e curiosidade, ou é para isso que serve o corpo da mulher, que são predominantemente e imediatamente objetivadas e, assim, isso altera a realidade e perturba a normalidade”, disse Booyens, que descreve o pornô como uma droga.

Booyen está destacando um problema impressionante – cerca de 200 mil americanos são classificados como viciados em pornografia e 40 milhões de americanos visitam sites pornográficos diariamente, segundo a empresa de cibersegurança WebRoot.

Todos os dias, 68 milhões de consultas de pesquisa relacionadas à pornografia são feitas nos Estados Unidos, 116.000 delas são sobre pornografia infantil.

“Familial pimping, or trafficking of parent’s children we will see a lot for drugs, rent, that sort of thing. It’s…

Posted by 8 days on Thursday, August 8, 2019

Booyen diz que o vício em pornografia altera o significado de um relacionamento consensual. “Que sexo supostamente deve ser, o que um relacionamento consensual deve ser, isso muda a situação. Agora, a pornografia não satisfaz, nunca. Então, qualquer um que esteja envolvido em pornografia, vai querer mais, sempre!”

“Então eles vão do pornô soft, que é uma imagem leve em uma revista, então eles começam a olhar para vídeos pornôs, então eles começam a se envolver naqueles atos em seus relacionamentos, geralmente maridos que começam a forçar suas esposas porque é isso que eles vêem no pornô, então eles regridem para até mesmo ter relações sexuais com um indivíduo sem consentimento e, em seguida, eles acabam um dia em um lugar onde eles compram sexo de uma criança”, explicou.

A escala epidêmica de que Booyen está falando pode ser entendida pelo fato de 48% dos estudantes do jardim de infância e da primeira série terem visto conteúdo on-line que “os deixava desconfortáveis”, segundo um estudo de 2008 do Rochester Institute of Technology.

O Children Advocacy Center, diz que 11 anos é a idade média na qual uma criança é exposta pela primeira vez a conteúdo adulto e um em cada sete jovens relata ser convidado à participar de sexo online.

“The child was pretty much given to a pimp, an associate of the pimp or family of the pimp for keeping. It is a ring. It…

Posted by 8 days on Friday, August 2, 2019

Hollywood como um “agente inescrupuloso”

Booyens descreveu Hollywood como um “agente inescrupuloso” e um grande contribuinte para o problema e disse que a indústria está moldando a cultura através da  introdução de ideias para o povo americano.

“Temos grupos neste país hoje, alimentados por Hollywood, e alimentados por políticos de esquerda que estão buscando agressivamente uma lei para reduzir a idade consensual do sexo para dez anos. Dez! Por que dez? Porque é pré-puberdade, porque para os homens que estão envolvidos no tráfico sexual, esse é o seu objetivo final, fazer sexo com crianças pré-puberdade. Isso é muito doentio! Muito doentio!”, disse ele.

Ele disse que Hollywood e os políticos sabem o que está acontecendo, mas eles não estão fazendo nada sobre isso.

“Eles fecham os olhos porque sabem que muitos de seus amigos, de seus contribuintes financeiros, de seus associados estão envolvidos. Eles estão envolvidos em pornografia, eles estão envolvidos em abuso infantil e abuso sexual infantil. Então, é uma situação muito doente, onde a cultura perdeu sua moralidade”, disse Booyens.

“In 2016, a Department of Justice-commissioned study, Youth Involvement in the Sex Trade, found that boys make up about 36 percent of children caught up in the U.S. sex industry.”

Posted by 8 days on Tuesday, June 11, 2019

Em uma linha do tempo preparada pelo Complex sobre abuso sexual infantil em Hollywood, as vítimas de abuso infantil em Hollywood desde 1976 falaram sobre como se tornaram vítimas na indústria de promessas.

“E Hollywood continua empurrando a bússola moral, eles empurram a barreira moral”, disse Booyen.

Ele disse que é um cineasta, mas não se inclui no modo como Hollywood está moldando a cultura.

Siga Venus no Twitter: @venusupadhayaya

 
Matérias Relacionadas