Moradores do nordeste da China: há mais casos do vírus do PCC do que relatado

Por Nicole Hao

Moradores das cidades de Shenyang e Jilin, no nordeste do país, disseram ao Epoch Times que há casos do vírus do PCC que não estão sendo denunciados pelas autoridades, porque eles impõem regras estritas para isolar as pessoas e fechar hospitais e instalações.

O vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), conhecido como novo coronavírus, surgiu pela primeira vez na cidade central de Wuhan no final de 2019 e depois se espalhou rapidamente por todas as partes do país.

Veja também:

Em março, após um período em que as autoridades locais de toda a China proclamaram que havia pouca ou nenhuma nova infecção, as regiões do nordeste da China confirmaram que uma segunda onda de surtos havia surgido em abril.

Shenyang

Do início de maio a 19 de maio, a Comissão Nacional de Saúde da China relatou apenas três infecções em Shenyang durante a segunda onda de surtos. O “paciente zero”, Hao, de 23 anos, foi diagnosticado com a doença em 10 de maio e viajou em 5 de maio da cidade de Jilin, província de Jilin – outra cidade do nordeste com um surto grave do vírus. As outras duas pessoas eram colegas de Hao, que foram diagnosticados com a infecção em 13 de maio.

Todos os três vivem e trabalham no distrito de Hunnan, em Shenyang. No entanto, Hunnan foi designada uma “região de baixo risco” para a propagação do vírus, enquanto o distrito de Sujiatun, nas proximidades, foi designado uma “região de médio risco”, segundo o governo da província de Liaoning. Embora as autoridades não tenham relatado nenhum caso em Sujiatun, a designação deste distrito indica que o surto poderia ser mais grave do que no distrito de Hunnan.

Os moradores de Shenyang disseram ao Epoch Times sobre os casos de COVID-19 que ouviram de familiares e parentes, inclusive nos distritos de Dadny e Yuhong, também pertencentes a Shenyang.

“Uma enfermeira do Hospital Shenyang 463 [em Dadong] foi infectada pelo vírus através do namorado. Ele não apresentou sintomas nos primeiros dias. Ela então passou o vírus para outra equipe médica porque [ela não sabia que estava infectada e] continuou a trabalhar”, disse Bian à versão chinesa do Epoch Times em 16 de maio.

De acordo com um documento oficial do governo de Shenyang divulgado pela mídia social, o sobrenome da enfermeira é Liu. Ela e uma amiga alugaram um quarto no distrito de Dadong, mas ela vai para a casa do namorado quando os dois não precisam trabalhar no turno da noite. Seu namorado, que conversou com Hao no trabalho, foi um dos pacientes diagnosticados em 13 de maio.

Bian disse que ouviu falar de um paciente diagnosticado que não foi anunciado pelas autoridades, que vive no distrito de Sujiatun e viajou da cidade de Jilin.

Outro morador de Shenyang, Sr. Ji, disse que o distrito de Yuhong também diagnosticou pacientes. “Mas [o governo] não nos informa”, disse ele. “Eles enviaram uma frota de mais de dez veículos. Onde quer que os veículos parassem, dezenas de pessoas vestindo roupas de proteção saíam dos veículos e obrigavam os moradores locais a serem isolados em centros de quarentena”.

Jilin

Os moradores da cidade de Jilin também disseram ter ouvido casos que as autoridades não denunciaram.

Wen vive em Shulan, uma cidade no nível do condado sob a jurisdição da cidade de Jilin. Sendo um contato próximo de uma das famílias infectadas, ele deu à versão chinesa do Epoch Times da China mais detalhes sobre o surto em 18 de maio.

As autoridades anunciaram que o Paciente Zero é uma faxineira que trabalha no Departamento de Polícia de Shulan. “Ela tem uma família numerosa, um irmão e três irmãs”, disse Wen. “Uma de suas irmãs trabalha no Hospital Popular de Shulan.”

Wen disse que o paciente zero estava doente há algum tempo. “Ela infectou muitos membros de sua família. Sua mãe morreu do vírus há vários dias e o membro mais jovem infectado em sua família é uma menina de cinco anos de idade. O governo não denunciou nenhum deles”, disse Wen. Ela acrescentou que as autoridades ordenaram que os membros da família da paciente fossem isolados em Changchun, capital da província de Jilin, para evitar uma maior disseminação.

Wen também disse que o governo da província enviou policiais de outras cidades para ajudar o escritório de polícia de Shulan, porque “todo o pessoal do escritório de polícia de Shulan e suas famílias estão se sentindo isolados na cidade de Jilin”, de acordo com as instruções das autoridades.

Wen também disse que o Hospital Geral de Assuntos Mineiros de Shulan foi modificado para se tornar um hospital improvisado dedicado ao tratamento de pacientes com COVID-19.

O Epoch Times não conseguiu verificar independentemente as informações fornecidas pelos residentes locais.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

O Método do PCC

 

 
Matérias Relacionadas