Moon e Kim apertam as mãos e assinam o fim da Guerra das Coreias

No centro de Seul, centenas de manifestantes se reuniram em protesto contra a Coreia do Norte e a repressão do regime

Por Anastasia Gubin, Epoch Times

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o líder do regime comunista da Coreia do Norte, Kim Jong un, se reuniram hoje (27) às 09h30 da manhã para apertar as mãos durante a reunião histórica entre os dois países na região fronteiriça de Panmunjeom.

Entre os primeiros resultados da Cúpula está a assinatura da “Declaração de Panmunjeon para a Paz, a Prosperidade e a Unificação da Península Coreana”.

“Estes dois líderes declaram que não haverá mais guerra na Península Coreana, e que a Coreia do Sul e do Norte vão cooperar para estabelecer um regime de paz permanente na Península Coreana”, diz o documento.

A Guerra das Coreias (1950-1953) tinha sido interrompida por um tratado de armistício assinado entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte. O conflito envolveu as forças do Sul, dos Estados Unidos e das Nações Unidas contra o regime comunista que ocupou o norte, apoiado pela Rússia e China. Hoje, os Estados Unidos têm cerca de 28.500 soldados na Coreia do Sul.

Líder norte-coreano Kim Jong-un e o presidente sul-coreano Moon Jae-in apertam as mãos depois de anunciar a Declaração de Panmunjom para a Paz, a Prosperidade e a Unificação da Península Coreana em frente à Casa da Paz em 27 de abril de 2018 em Panmunjom (Korea Summit Press Pool/Getty Images)
Líder norte-coreano Kim Jong-un e o presidente sul-coreano Moon Jae-in apertam as mãos depois de anunciar a Declaração de Panmunjom para a Paz, a Prosperidade e a Unificação da Península Coreana em frente à Casa da Paz em 27 de abril de 2018 em Panmunjom (Korea Summit Press Pool/Getty Images)

Na reunião, Moon falou sobre como resolveram a questão da desnuclearização.

“Nós confirmamos que uma Península Coreana livre de armas nucleares através da desnuclearização completa é o nosso objetivo comum. Eu afirmo claramente hoje que o Sul e o Norte cooperarão estreitamente na desnuclearização completa no futuro”, disse Moon, de acordo com a agência estatal de notícias Korea.

“Eu vim para Panmunjeom para abrir um caminho futuro para que os coreanos possam viver em paz”, acrescentou Kim.

“Estamos determinados a tomar providências para isso”, disse o líder do Norte.

Kim Jon-un foi anunciado pelo Ministério da Coreia do Sul como presidente da Comissão de Assuntos Estatais da Coreia do Norte.

Em uma mensagem no Twitter, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou a Cúpula e destacou: “Fim da Guerra das Coreias! Os Estados Unidos e todo o seu grande povo estão muito orgulhosos do que está acontecendo agora na Coreia!”.

“Depois de um frenético ano de lançamento de mísseis e testes nucleares, está em andamento um encontro histórico entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul. Coisas boas estão acontecendo, mas só o tempo dirá!”, acrescentou em outro Tiwtter.

Assista aqui a um curto vídeo mostrando o encontro dos dois líderes.

Primeiro encontro

Estando ambos na fronteira de Panmunjeom, Kim foi convidado por Moon a cruzar a linha de Demarcação Militar em direção ao Sul, onde eles apertaram as mãos e posaram para fotos.

Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o líder do regime comunista do Norte, Kim Jong-un, depois de apertar as mãos às 09h30 da manhã de 27 de abril de 2018, na Zona Desmilitarizada da fronteira (Ministério da Unificação)
Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o líder do regime comunista do Norte, Kim Jong-un, depois de apertar as mãos às 09h30 da manhã de 27 de abril de 2018, na Zona Desmilitarizada da fronteira (Ministério da Unificação)

Então, em um movimento improvisado, Kim encorajou Moon a passar brevemente ao longo da linha de demarcação para a Coreia do Norte para outra foto comemorativa.

(Ministério da Unificação)
(Ministério da Unificação)

Conversações prévias à Cúpula

Durante uma conversa prévia à Cúpula, realizada na Casa da Paz em Panmunjom, ambos os líderes concordaram que o encontro produziria bons resultados.

“Estou hoje aqui com uma mentalidade de que eu gostaria de ‘abrir fogo’ para começar uma nova história de paz, prosperidade e melhores laços inter-coreanos. Espero que tenhamos conversas sinceras sobre assuntos de interesse mútuo, e que consigamos bons resultados hoje”, disse Kim, segundo informou o Ministério da Unificação.

Moon e Kim em conversações prévias à Cúpula de 27 de abril (Ministério da Unificação)
Moon e Kim em conversações prévias à Cúpula de 27 de abril (Ministério da Unificação)

“Não quero ver se repetir a história anterior que vimos em reuniões passadas, quando voltamos delas sem qualquer resultado. Em vez disso, com sorte, ambos os lados irão olhar para o futuro, de mãos dadas e marchando juntos para o futuro”, acrescentou o líder do Norte.

O presidente Moon fez notar que “a primavera está aqui na Península Coreana”, num dia de tempo excelente.

“No momento em que Kim cruzou a Linha de Demarcação Militar pela primeira vez na história, Panmunjeom transformou-se de símbolo da divisão em um símbolo de paz.”

“Quero agradecer-lhe por decidir que esta reunião se realizasse”, disse Moon a Kim.

O presidente Moon antecipou “conversas amplas e francas para chegar a um acordo e produzir o que os povos de nossos países e todo o mundo querem ver: a paz”.

É esperado que a Cúpula prepare o cenário para Kim se reunir com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no final de maio ou início de junho.

A Coreia do Norte pavimentou o caminho anunciando previamente que desde 21 de abril havia suspendido os testes nucleares e fechado os locais de testes.

Após a reunião, segundo informou a Casa Azul, do governo da Coreia do Sul, os líderes realizarão uma cerimônia de despedida em frente à Casa da Paz a partir das 20h30, quando serão tocadas melodias da Primavera.

 

Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o líder do regime comunista do Norte, Kim Jong-un, apertam as mãos às 9h30 da manhã de 27 de abril de 2018, na Zona Desmilitarizada (Ministério da Unificação)
Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o líder do regime comunista do Norte, Kim Jong-un, apertam as mãos às 9h30 da manhã de 27 de abril de 2018, na Zona Desmilitarizada (Ministério da Unificação)

Semeando a paz

À tarde, por volta das 16h30, Moon e Kim plantaram juntos um pinheiro originalmente cultivado em 1953, conhecido como Bansong (Ban), à beira de uma estrada no lado sul da linha de Demarcação Militar.

A terra usada provém das montanhas Hallasan e Baekdusan. “Os dois líderes regaram a muda com água dos rios Daungongg e Hangang. Em seguida, juntos, levantaram um manto e mostraram uma placa de pedra com uma inscrição”, informou a agência estatal Korea.

“A Paz e a Prosperidade foram semeadas”, diz a inscrição.

Após o plantio, os dois líderes caminharam tranquilamente até a linha de demarcação.

O presidente Moon saiu da Casa Azul para o local de encontro em um Sedan à prova de balas. Dezenas de apoiadores sacudiram bandeiras da Coreia do Sul em apoio à Cúpula, informou a agência Reuters.

No centro de Seul, centenas de manifestantes se reuniram em protesto contra a Coreia do Norte e a repressão do regime. Outros, diferentemente, mostraram o seu apoio à reunificação.

 
Matérias Relacionadas