“Montanhas altas e águas que correm”

Boya Yu toca seu instrumento diante do túmulo do amigo lenhador (Zhiching Chen/The Epoch Times)

No Período da Primavera e do Outono (770-221 d.C.), havia um mestre músico chamado Boya Yu. Ele tinha grande autocontrole emocional, temperamento tranquilo e soberba perícia no manejo de diferentes instrumentos musicais.

Numa noite de inverno, Boya não conseguia dormir, então, ele saiu para caminhar e posteriormente remar em seu bote. A Lua estava especialmente brilhante e uma brisa fresca soprava gentilmente. Inspirado pela natureza circundante, ele parou e começou a produzir música.

De repente, alguém gritou: “Bravo!” Boya parou de tocar, olhou ao redor e viu um lenhador de pé na margem. Ele ficou muito feliz que este homem entendesse sua música, então, ele convidou o lenhador a subir em seu bote e continuou a tocar.

Quando Boya tocou uma música elogiando as altas montanhas, o lenhador exclamou: “Maravilhoso! A melodia é tão magnífica e dignificante quanto o Monte Tai, como se fosse alta o suficiente para alcançar o céu.”

Em seguida, Boya tocou uma peça musical retratando as águas turbulentas e o lenhador comentou: “Fenomenal! A melodia é tão vasta e grandiosa quanto os grandes rios!”

Boya estava encantado com a companhia e disse: “Você entende minha música e me compreende!” Desde então, eles se tornaram grandes amigos.

Antes de se separarem, eles combinaram se encontrar no mesmo local e horário no ano seguinte. Quando a época chegou, Boya foi ao local marcado e esperou, mas o lenhador não apareceu; assim, ele decidiu ir visitá-lo.

No caminho, ele encontrou um senhor idoso, que casualmente era o pai do lenhador. O homem disse a Boya que o filho havia falecido no mês anterior vítima de uma doença, mas que antes de morrer, pediu ao pai que encontrasse Boya no local e data combinados.

Sabendo da morte do amigo, Boya ficou muito triste. Ele seguiu o senhor até o local de descanso do lenhador e tocou em homenagem ao caro amigo.

Conta-se que ele quebrou seu instrumento na lápide de pedra após concluir a música e que decidiu não tocar mais.

Esta história apareceu originalmente no livro “Os trabalhos de Lie Zi” do Período da Primavera e do Outono. Posteriormente, o dizer chinês “Montanhas altas e águas que correm” passou a ser usado para se referir a amigos que se compreendem e estimam ou à verdadeira amizade.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas