Misteriosa doença de diplomatas dos EUA em Cuba seria causada por armas de micro-ondas

EUA têm atualmente um máximo de 18 funcionários em Havana e recentemente expulsaram 15 diplomatas cubanos do território norte-americano

Por Zachary Stieber, NTD TV

Segundo cientistas, a origem de uma doença misteriosa que afetou diplomatas norte-americanos e canadenses em Cuba e na China corresponde grandemente com os conhecidos efeitos da radiação eletromagnética de micro-ondas.

Beatrice Golomb, professora de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia, em San Diego, disse que estudou as informações sobre a doença e conseguiu encontrar uma grande semelhança com os sintomas da radiação eletromagnética de micro-ondas, também conhecida como radiofrequência pulsada (RF/MW).

“Eu me baseei no que se sabe sobre RF/MW pulsada, com relação à experiência dos diplomatas. Tudo coincide. Os sons variantes específicos que os diplomatas disseram ter ouvido durante os aparentes episódios de incitamento, como trinado, campainha e zumbido, coincidem em detalhes com as propriedades conhecidas da chamada ‘audição de micro-ondas’, também conhecida como Efeito Frey”, disse Golomb em uma declaração.

“E os sintomas que surgiram se encaixam, incluindo a prevalência de problemas de sono, dores de cabeça e problemas cognitivos, bem como a proeminência característica dos sintomas auditivos. Até mesmo descobertas objetivas em imagens cerebrais concordam com o que foi relatado em pessoas afetadas pela radiação RF/MW”.

Um artigo científico a ser publicado

Um artigo de Golomb sobre o assunto será publicado no jornal “Neural Computation” em 15 de setembro. Nele são comparados os sintomas que os diplomatas descreveram com um estudo feito em 2012 sobre os sintomas relatados por pessoas afetadas pela radiação eletromagnética no Japão.

Os sintomas mencionados em ambos os casos são: dores de cabeça, problemas cognitivos, problemas para dormir, irritabilidade, nervosismo ou ansiedade, tontura e zumbido (zumbido nos ouvidos).

Uma equipe médica examinou 21 diplomatas afetados em Cuba e publicou um relatório na revista científica de medicina Jama em março. Douglas Smith, diretor do Centro de Lesões e Reabilitação Cerebral da Universidade da Pensilvânia, e primeiro autor do artigo, disse ao New York Times que as micro-ondas agora são consideradas as principais suspeitas de provocarem os sintomas, embora o relatório não mencione as micro-ondas.

Smith contou à CNN que também se estuda a possibilidade de que o ultrassom ou o infrassom seja a causa da doença.

Diplomatas adoecem

Em novembro de 2007, o então secretário de Estado Rex Tillerson disse que os diplomatas norte-americanos em Havana foram vítimas de “ataques à saúde” que lhes causaram perda auditiva, informou a Associated Press.

O governo canadense disse que pelo menos um diplomata canadense em Cuba também havia recebido tratamento para perda auditiva.

“Nós responsabilizamos as autoridades cubanas em descobrir quem está realizando esses ataques à saúde, não apenas contra nossos diplomatas, mas, como vocês viram, há outros casos envolvendo outros diplomatas”, disse Tillerson.

Mais tarde foi revelado que o número de pessoas afetadas contavam várias dezenas, incluindo diplomatas canadenses e norte-americanos, e parentes na China também.

Outras autoridades, que não foram nomeadas, disseram que a perda auditiva parecia ter sido causada pelo uso deliberado de algum tipo de dispositivo sonoro, que operava fora do alcance audível. Os ataques foram relatados pela primeira vez em outubro de 2016.

Os Estados Unidos têm atualmente um máximo de 18 funcionários em Havana e recentemente expulsaram 15 diplomatas cubanos do território norte-americano.

 
Matérias Relacionadas