Ministro Alexandre de Moraes determina investigação ao PTB

Por Bruna Lima, Terça Livre

Após determinar a prorrogação do Inquérito 4781, chamado inquérito das fake news, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou no dia 23 de abril que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) investigue as prestações de contas do Diretório Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) dos últimos 5 anos.

O magistrado pretende encontrar supostos repasses de dinheiro a Roberto Jefferson, presidente nacional do partido.

A investigação foi determinada após petição do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A OAB afirma que o ex-deputado federal Roberto Jefferson tem realizado uma campanha de disseminação de fake news por meio de suas redes sociais e, por este motivo, deve ser investigado.

“O Conselho Federal da OAB traz exemplos inúmeros relacionados ao agir do representado, aos quais se somam tantos outros, que extrapolam os limites da liberdade de expressão, prestigiando a desinformação e atacando frontalmente as instituições democráticas e a honorabilidade de seus membros, além de grupos de imprensa”, argumenta o ministro Alexandre no despacho.

A decisão cita algumas postagens feitas por Jefferson em seus perfis no Twitter e Instagram.

Algumas das publicações sugerem a saída dos ministros da Suprema Corte de seus cargos, o que é considerado por Alexandre de Moraes um ataque ao STF.

Conforme o Terça Livre já noticiou, o PTB é um dos partidos que já protocolaram pedidos de impeachment contra o ministro.

Em uma publicação em seu perfil no Twitter, o presidente do PTB afirmou que a sigla irá apresentar à Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA) uma nova denúncia contra Moraes, “tendo em vista as reiteradas perseguições a apoiadores ao atual Governo, democraticamente eleito pelo voto popular.”

LEIA NA ÍNTEGRA A DECISÃO DE ALEXANDRE DE MORAES.

 
Matérias Relacionadas