Publicado em - Atualizado em 09/10/2017 às 21:23

Militares chineses expurgados são humilhados na televisão estatal

Recrutas do exército fazem treinamento em uma base em Xining, província de Qinghai, China, em 26 de dezembro de 2005 (China/Getty Images)

Recrutas do exército fazem treinamento em uma base em Xining, província de Qinghai, China, em 26 de dezembro de 2005 (China/Getty Images)

Funcionários chineses demitidos pelo Partido Comunista Chinês geralmente são expulsos silenciosamente: o protocolo comumente seguido é realizar um julgamento a portas fechadas e em seguida emitir uma declaração oficial sobre a condenação.

Mas um recente programa de televisão transmitido pela Televisão Central da China (CCTV), emissora porta-voz do regime, mostrou imagens dos julgamentos de três oficiais do Exército.

Trata-se de Guo Boxiong, Xu Caihou e Gu Junshan, que ocupavam altos cargos no Exército Popular de Libertação e eram conhecidos como “tigres militares”. Eles também eram aliados íntimos de Jiang Zemin, ex-líder do Partido Comunista Chinês.

Jiang e todos os que são leais a ele encontram-se em um conflito político com o atual líder, Xi Jinping, e seus seguidores. Os três generais foram julgados por suborno e desfalque entre 2015 e 2016, como parte da campanha anti-corrupção de Xi, que visou membros da facção de Jiang.

CCTV, canal estatal chinês, mostra imagens de Xu Caihou em julgamento (Captura de tela via CCTV)

CCTV, canal estatal chinês, mostra imagens de Xu Caihou em julgamento (Captura de tela via CCTV)

Gu teve sua pena de morte comutada com um perdão de dois anos, o que provavelmente significa que ele será condenado à prisão perpétua. Guo recebeu prisão perpétua e Xu morreu de câncer de bexiga enquanto aguardava o julgamento.

Em um programa transmitido em 2 de outubro como parte de uma série de televisão de oito episódios sobre as forças armadas chinesas, os três foram mostrados sendo algemados e levados ao tribunal ou sentados no tribunal aguardando a sentença.

Programa da CCTV mostrando Gu Junshan sendo algemado e levado ao tribunal (Captura de tela via CCTV)

Programa da CCTV mostrando Gu Junshan sendo algemado e levado ao tribunal (Captura de tela via CCTV)

Guo, em particular, foi mostrado se declarando culpado. “Sinceramente, devo reconhecer e aceitar minha culpa”, disse ele.

Imagens de Guo Boxiong no tribunal (Captura de tela via CCTV)

Imagens de Guo Boxiong no tribunal (Captura de tela via CCTV)

Ao transmitir o programa duas semanas antes do 19º Congresso Nacional, que irá revelar a nova liderança do regime, a CCTV ajudou a transmitir a mensagem de que Xi está no comando, tendo em mente que esses três generais já estiveram entre os homens mais poderosos do regime chinês.

A estranha exibição pública de sua queda também serve como advertência para aqueles nas forças armadas, e indica à facção de Jiang o destino que ele pode enfrentar sob as medidas enérgicas de Xi.

Mais de 60 outros generais de alto escalão já foram purgados por Xi; sua campanha para erradicar a corrupção continua.

Colaborou: Annie Wu

Leia também:
Guo Boxiong, general chinês expurgado, tenta suicídio na prisão
De que lado está a China no conflito Coreia do Norte e Estados Unidos
Apesar das alegações de reforma, sistema de transplante da China é preocupante

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
  • Will Smit

    A única arma democrática contra o comunismo, é a morte, pois todos são culpados, até que prove inocência.

Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016