Milhões de chineses não conseguem acessar seus depósitos bancários

Muitas pessoas ainda não podem acessar seus fundos de aposentadoria ou fundos regulares há mais de 30 dias

Por Mary Hong 

Milhões de clientes de bancos chineses não conseguem acessar seus depósitos há mais de um mês. Embora o regulador bancário chinês tenha alegado que sua investigação encontrou atividades ilegais de coleta de bens envolvendo um grande acionista e uma plataforma de terceiros, os clientes acreditam que o regulador falhou em proteger o interesse das pessoas em primeiro lugar.

Em 18 de abril, clientes de quatro bancos rurais na província de Henan descobriram que suas contas estavam restritas quando tentavam fazer saques regulares. Nos dias 18 e 19, os respectivos bancos emitiram avisos de atualização e manutenção do sistema e suspensão dos serviços de internet banking e mobile banking.

O governo local respondeu em 25 de abril afirmando que o sistema bancário estava se modernizando para evitar atividades ilegais. O Banco Central chinês também emitiu um comunicado de investigação.

Dois clientes locais disseram à edição chinesa do Epoch Times que já se passaram mais de 30 dias e muitas pessoas ainda não podem acessar seus fundos de aposentadoria ou fundos regulares. Eles negaram a alegação de fraude pelo funcionário de investimento e disseram que são civis comuns que mantêm suas economias nos bancos.

Depositantes Regulares

O Sr. Cheng, residente local, disse que abriu uma conta de poupança a prestações pessoalmente no banco local, o que exigia que ele depositasse uma pequena quantia de dinheiro todas as semanas. A taxa de juros era mais alta do que os principais bancos estavam pagando e “é baseada na taxa de juros de um padrão nacional”, disse Cheng.

Ele disse que os bancos promoveram contas de poupança online e muitas pessoas de fora da província também abriram contas online.

“Para nós, um banco é como o estado, você deve se sentir seguro com ele. Como pode haver algum problema com suas economias? Meu cartão bancário mostra um registro de pagamentos regulares de juros, mas não posso sacar [nenhum dinheiro]”, disse Cheng.

A Sra. He juntou suas economias parceladas por meio de uma plataforma on-line de terceiros, há três anos, e ela está sacando o principal e os juros em um prazo fixo. Mas a retirada foi restringida em 18 de abril.

Ela disse: “é minha conta poupança pessoal, mas agora me tornei uma investidora ilegal e não consigo acessar minha conta”.

Pessoal de segurança diante da Comissão Reguladora Bancária da China em Pequim, na China, em 6 de agosto de 2018, depois que a polícia chinesa anulou agressivamente um protesto planejado contra perdas sofridas por plataformas de empréstimos peer-to-peer (P2P) (Greg Baker/AFP via Getty Images)
Pessoal de segurança diante da Comissão Reguladora Bancária da China em Pequim, na China, em 6 de agosto de 2018, depois que a polícia chinesa anulou agressivamente um protesto planejado contra perdas sofridas por plataformas de empréstimos peer-to-peer (P2P) (Greg Baker/AFP via Getty Images)

Protestos de clientes

Em 18 de maio, protestos eclodiram em frente ao escritório provincial da Comissão Reguladora de Bancos e Seguros.

A Sra. He disse que a polícia apareceu e muitos depositantes foram espancados, agredidos com spray de pimenta e que a polícia prendeu várias pessoas.

O Sr. Cheng disse que aqueles que foram presos foram libertados, mas havia cerca de 200 pessoas no local quando ele falou em 21 de maio.

“Somos clientes regulares do banco, é sobre nossas contas de poupança. Não é um projeto de investimento. Temos que lutar por isso”, insistiu Cheng.

Relatório de um cliente à polícia

A Sra. He forneceu uma gravação online de um professor universitário fazendo uma ligação para a polícia exigindo uma investigação dos bancos rurais.

Na gravação, o professor disse: “é o maior acionista que se apropriou indevidamente dos ativos dos bancos”.

Ela insistiu que o regulador bancário ignorou seu dever nos últimos três anos ao permitir atividades corruptas dentro dos bancos e rotulou erroneamente as poupanças dos depositantes como investimentos ilegais.

Ela pediu ao regulador que reconhecesse o status de seus depósitos. Ela disse: “Os depósitos de civis nos bancos listados na China agora se tornam fundos de investimento ilegais. É uma vergonha para o sistema bancário na China”.

Depósitos reais em um sistema bancário falso

Os bancos rurais em Henan envolvidos no incidente eram filiais do Henan Xuchang Rural Commercial Bank (HXRC Bank).

Em 2018, o HXRC Bank foi multado por investimentos pouco claros em ativos bancários. Os funcionários expuseram conjuntamente a alta administração e os atos combinados do principal acionista de drenar o banco em pelo menos US$ 1,5 bilhão. A multa do regulador foi criticada como uma medida “protetiva” por blogueiros no Weibo.

O principal acionista, o New Fortune Group, teve seu registro comercial cancelado em fevereiro deste ano.

Em março de 2022, a polícia de Xuchang emitiu um aviso de procurado e uma recompensa de US $15.000 para o ex-vice-presidente do HXRC Bank, Sun Zhenfu, suspeito de “graves crimes econômicos”.

A Sra. He acredita que os departamentos relevantes estão se esquivando de suas responsabilidades e que o banco está roubando seus clientes.

Segundo o registro público do Banco HXRC, seu escopo de negócios incluía a absorção de depósitos do público e a emissão de empréstimos de curto, médio e longo prazo.

Li Xin’an e Gu Xiaohua contribuíram para esta reportagem.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas