Mil anos depois de mumificado, você não acreditará nas condições do cérebro deste monge

No Templo Dinghui em Jiangsu Sheng, China, os monges budistas podem prestar homenagem aos restos dourados do antigo monge Mestre Ci Xian mais de mil anos após sua morte.

Este nativo indiano viajou para a China durante o Reino de Khitan um milênio atrás, trazendo com ele a palavra do budismo para promover esses ensinamentos religiosos.

Ele acabou sendo nomeado um mestre budista pelo Rei Khitan, mas seu legado aumentou múltiplas vezes quando seus restos mortais receberam um exame médico depois que eles foram transferidos de volta para o templo onde eles estão agora.

Descoberto numa caverna na década de 1970, o corpo do monge estava perfeitamente preservado, mas seu estado meditativo e sua aparência muito bem preservada não foram as únicas coisas impressionantes que os cientistas descobriram.

Ao realizar-se uma tomografia computadorizada, descobriu-se que Ci Xian ainda tem sua matéria cerebral totalmente intacta. E à medida que os testes progrediram, os especialistas médicos perceberam que ele ainda tinha um esqueleto completo também!

Os métodos de preservação usados ​​para a mumificação nos tempos antigos eram magistrais e meticulosos, por isso não é de todo surpreendente que os arqueólogos e exploradores tenham tropeçado nesses restos praticamente vivos séculos após o habitante do corpo ter falecido.

No entanto, encontrar um cérebro completo mil anos depois é um milagre mesmo para os padrões modernos. Parece que a sociedade ainda tem muito a aprender com os antigos!

Crédito do vídeo: Além da Ciência

 
Matérias Relacionadas