Mike Pence se despede em Miami de navio-hospital em missão contra crise na Venezuela

Mais de quatro milhões de venezuelanos deixaram o país fugindo da crise, segundo dados da Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR)

Por Voice of America

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, informou nesta terça-feira (18) em Miami sobre a iminente missão do navio-hospital USNS Comfort na América do Sul, América Central e Caribe, cujo objetivo principal é aliviar governos e sistemas de saúde na região em meio a crise gerada pelo êxodo dos venezuelanos.

O repórter da Voice of America, José Pernalete, cobriu o evento marcado para hoje ao meio dia, que contou também com a presença do embaixador do governo interino da Venezuela em Washington, Carlos Vecchio, e do chefe do Comando Sul, almirante Craig Faller.

Pence confirmou sua participação em sua conta no Twitter: “Amanhã (terça-feira) eu viajo para Miami, na Flórida, para me despedir do USNS Comfort quando ele embarcar em uma viagem de cinco meses para a América Latina e Caribe com a missão de enfrentar a crise humanitária criada por Maduro ( …) Maduro deve sair para que a democracia e a prosperidade possam voltar!”

O ato foi realizado no porto de Miami, de onde o barco zarpou para a missão médica de cinco meses, segundo informou o porta-voz do Comando Sul, José Ruiz, à VOA.

“Esta é uma missão humanitária de assistência médica que será realizada com uma tripulação de aproximadamente 1.000 pessoas, incluindo médicos civis e militares que trabalharão com sistemas de saúde na região em cerca de 10 países”, disse Ruiz à VOA.

O navio-hospital viajará para a Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, Granada, Haiti, Jamaica, Panamá, Santa Lúcia e São Cristóvão e Névis.

Os venezuelanos estão no centro dessa missão, disse Ruiz. Ele também disse que o navio partirá hoje à noite ou quarta-feira.

“Dada a triste situação da crise que existe na Venezuela, estamos prevendo que os cidadãos venezuelanos que estão em alguns desses países receberão atendimento”, disse o porta-voz.

A missão durará cinco meses e envolverá pessoal médico dos países que serão visitados. Organizações não-governamentais também estão presentes como parte da tripulação, disse Ruiz.

O governo dos Estados Unidos tem sido fundamental para dar visibilidade e tomar providências em relação à crise pela qual a Venezuela está passando. Para isso, ele apoia o presidente Juan Guaidó e sua agenda para dar um basta à ditadura de Nicolás Maduro.

Mais de quatro milhões de venezuelanos deixaram o país fugindo da crise, segundo dados da Agência da ONU para os refugiados (ACNUR).

 
Matérias Relacionadas