Mídia chinesa promove advogado de Pequim que alega que leis da COVID- 19 podem permitir ‘pena de morte’

Autoridades estão dobrando sua política COVID-zero antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022

Por Shawn Lin

As autoridades chinesas começaram a promover uma narrativa que ameaça o uso da “pena de morte” para aqueles que resistem em cooperar com as severas políticas zero-COVID-19 do país.

Em 24 de outubro, o Conselho de Estado do Partido Comunista Chinês (PCC) relatou que desde 17 de outubro, surtos da variante Delta foram detectados em vários locais e se expandiram rapidamente por todo o país. Isso estava acontecendo porque várias pessoas infectadas viajaram entre regiões, aumentando a disseminação do vírus. A verdadeira origem da propagação ainda está sob investigação.

Apenas quatro dias depois, o Comitê de Saúde do PCC anunciou que a variante Delta havia sido encontrada em mais de uma dúzia de províncias além de Pequim, incluindo Zhejiang, Henan, Fujian, Hubei, Mongólia Interior, Shandong, Sichuan e outras. No total, havia 701 casos ativos confirmados em todo o país naquele dia.

O retorno supostamente agressivo do vírus a Pequim causou preocupação entre as autoridades locais, levando-as a declarar sobre como retificar a situação, o que, por vezes, inclui medidas ameaçadoras. As autoridades municipais estão dobrando sua política COVID-zero antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022.

Pessoas fazem fila para receber uma injeção de reforço da vacina contra o coronavírus COVID-19 em uma tenda montada fora de um shopping center em Pequim em 1 de novembro de 2021 (Greg Baker / AFP via Getty Images)
Pessoas fazem fila para receber uma injeção de reforço da vacina contra o coronavírus COVID-19 em uma tenda montada fora de um shopping center em Pequim em 1 de novembro de 2021 (Greg Baker / AFP via Getty Images)

Em 28 de outubro, a CCTV, mídia oficial do PCC, fez referência a um artigo no qual um advogado foi citado dizendo: “violar os regulamentos de prevenção de epidemias constitui um crime punível que pode justificar a pena de morte”.

O advogado citado, Zhao Zong, trabalha para o escritório de advocacia Zhongwen de Pequim. Ele disse que qualquer pessoa que saiba ou suspeite que é contagiosa ou tenha estado em contato próximo com uma pessoa infectada deve cumprir legalmente as diretrizes de quarentena. Se não o fizer, o ato de colocar em risco a segurança pública constitui um crime passível de punição que poderia justificar a pena de morte.

Aqui estão algumas das medidas já promulgadas pelas autoridades de Pequim: nenhuma viagem desnecessária para fora da capital; as viagens entre as províncias estão suspensas; todos os centros de atividades estão fechados, incluindo salas de xadrez e pôquer; e vacinações obrigatórias, inclusive para crianças a partir dos 3 anos de idade. As autoridades também lançaram uma terceira dose de vacinação para funcionários-chave, que devem tomar os reforços para manterem seus empregos.

Em 28 de outubro, dois trens de alta velocidade em rota para Pequim foram repentinamente parados porque cada um deles tinha um membro da tripulação que supostamente entrou em contato próximo com uma pessoa contagiosa. Um trem foi o G14 que transportava 212 pessoas de Xangai. No meio de sua jornada, a Secretaria Ferroviária de Pequim ordenou que o trem parasse na estação Jinan West, na província de Shandong. Todos a bordo foram removidos imediatamente e transferidos para um local de isolamento para quarentena centralizada e observação médica.

No final da tarde, o trem G108 que transportava 134 pessoas de Jiaxing para a Estação Sul de Pequim também foi parado pela Secretaria Ferroviária de Pequim. Todos a bordo também foram colocados em quarentena. Os testes iniciais de COVID-19 de todos os 346 passageiros e tripulantes de ambos os trens foram todos negativos para COVID-19.

Dois trens de alta velocidade em rota para Pequim foram repentinamente parados porque cada um deles tinha um membro da tripulação que se acreditava ter tido contato próximo com um paciente COVID-19 em 28 de outubro de 2021 (Peter Parks / AFP / Getty Images)
Dois trens de alta velocidade em rota para Pequim foram repentinamente parados porque cada um deles tinha um membro da tripulação que se acreditava ter tido contato próximo com um paciente com COVID-19 em 28 de outubro de 2021 (Peter Parks / AFP / Getty Images)

A resposta rápida e agressiva a esses dois incidentes revela o quanto as autoridades estão nervosas para erradicar a COVID-19 de Pequim.

Um blogueiro de vídeo que produz o programa “Cold Eyes on Finance” comentou que o modelo de eliminação da COVID-19 do PCC se tornou, mais chocantemente, um modelo de “campos de concentração em todos os lugares”, e que as autoridades se tornaram “cada vez piores”, despojando-se dos direitos humanos do povo chinês. Se você não ousar cooperar, pode ser preso imediatamente, afirmou.

O número de casos do vírus confirmados pelo PCC pode parecer pequeno, mas “eles não são transparentes, então os relatórios não são confiáveis”, acrescentou. “Embora haja apenas algumas dezenas de casos por dia, eles [as autoridades] estão virando a vida de 1,4 bilhão de chineses de cabeça para baixo”.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também: 

 
Matérias Relacionadas