Michel Temer exonera dez ministros para votação na Câmara

O Diário Oficial da União (DOU) divulgou nesta quarta-feira (02) decretos assinados pelo presidente Michel Temer (PMDB) contendo as exonerações de dez ministros de Estado com mandato de deputado federal. Eles retomam o cargo na Câmara para tomar parte da sessão plenária, nesta quarta-feira, que irá votar o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) de não admissibilidade da denúncia contra Temer, acusado de corrupção passiva. A sessão está marcada para 9 horas e deve durar o dia todo.

Foram exonerados Antonio Imbassahy (PSDB), chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República; José Mendonça Filho (DEM), do Ministério da Educação; Bruno Cavalcanti Araújo (PSDB), do Ministério das Cidades; Fernando Bezerra (PSB), do Ministério de Minas e Energia; Osmar Terra (PMDB), do Ministério do Desenvolvimento Social; Leonardo Picciani (PMDB), do Ministério do Esporte; José Sarney Filho (PV), do Ministério do Meio Ambiente; Ronaldo Nogueira (PTB), do Ministério do Trabalho; Marx Beltrão (PMDB), do Ministério do Turismo; e Maurício Quintella (PR), do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

O debate sobre a denúncia só deverá começar quando no mínimo 52 deputados estiverem presentes no plenário. A votação obrigatoriamente deve ter a presença de 342 parlamentares e a chamada será nominal. Os primeiros votantes serão os deputados de um Estado da Região Norte e, na sequência, os deputados de um Estado da Região Sul.

O acesso à Câmara terá algumas restrições para a sessão de hoje – será proibida a entrada de visitantes. Só entrarão deputados, ex-deputados, servidores e a imprensa (com credenciais) para cobrir os trabalhos da casa.

Leia também:
MPF prorroga força-tarefa da Lava Jato em Curitiba até 2018
Eleições 2018: Magno Malta admite que pode ser vice de Bolsonaro
Sob críticas, aiatolá do Irã palestra em São Paulo sobre terrorismo

 
Matérias Relacionadas