Mercado imobiliário chinês, sobe ou desce

Compradores interessados num complexo de luxo observam um modelo numa exibição imobiliária (AFP/Getty Images)

O mercado imobiliário da China está exibindo dois extremos opostos. Em mais de 40% das grandes e médias cidades, o mercado caiu drasticamente ou faliu, enquanto os preços continuam a subir nas maiores cidades da China. A mídia e especialistas estão igualmente divididos sobre que futuro está reservado para o mercado imobiliário chinês.

Para baixo

Nas cidades de segundo nível, o mercado imobiliário tem estado plano ou caído. De acordo com a Secretaria de Estatísticas da China em novembro de 2012, entre 70 grandes ou médias cidades, 41 viram seus preços diminuírem para habitações recém-construídas (excluindo habitações de baixa renda subsidiadas pelo Estado). Wenzhou, na província de Zhejiang, assumiu a liderança com uma queda de preços de 13,2%.

No mercado de habitação de pré-aquisição, 49 das 70 cidades experimentaram um declínio em relação a novembro de 2011, novamente com Wenzhou vendo o maior declínio, 9,9%.

Também foi relatado que em Ordos, na Mongólia Interior, o mercado imobiliário entrou em colapso. Mais de 80% dos projetos de construção pararam. O preço da habitação também caiu de 20 mil yuanes por metro quadrado para apenas 3 mil yuanes.

Para cima

Enquanto isso, a mídia informou que o mercado imobiliário se recuperou em cidades chinesas de primeiro nível, incluindo Pequim, Shanghai, Guangzhou e Shenzhen.

Dados da Centaline Propriedade mostram que na primeira quinzena de dezembro de 2012, o volume de transações de unidades recém-construídas em Pequim subiu quase 50% em relação aos meses anteriores. Desde o início de 2012, os preços em bairros populares em torno de Pequim aumentaram em média 20%.

Em Shanghai, de 1º a 16 de dezembro de 2012, o volume de transações de habitações recém-construídas atingiu o pico do ano, mostrando um aumento de 7,3% sobre o mesmo período de novembro e um aumento de 102% sobre o mesmo período de 2011.

Em Guangzhou, em 19 de dezembro, 338 propriedades estavam no mercado. No mês seguinte, o preço em 56 das 338 propriedades subiu.

Previsões

Especialistas no mercado imobiliário chinês estão divididos sobre se a tendência de preços está subindo ou descendo.

Ren Zhiqiang, um magnata imobiliário e CEO do Grupo Huayuan Pequim, declarou abertamente várias vezes que os preços dos imóveis estão definitivamente subindo. Ele previu especificamente que os preços dos imóveis subiriam ainda mais em março de 2013, como resultado da oferta de habitação estar basicamente esgotada até o período.

Qiu Xiaohua, diretor da Secretaria Nacional de Estatísticas, disse que o mercado imobiliário é uma indústria-chave na aceleração da industrialização e urbanização da China. Portanto, ele acredita que o aumento de preços dos imóveis é inevitável e a tendência continuará por pelo menos 10 anos.

Por outro lado, o economista Andy Xie previu recentemente que os preços cairiam em 50% nos próximos cinco anos. Ele atribuiu a queda de preços à oferta ser maior que a demanda, devido ao crescente investimento em construção e lento crescimento populacional.

O especialista imobiliário Niu Dao também prevê que o mercado imobiliário chinês definitivamente entrará em colapso e atribui a recuperação atual do mercado aos oficiais do Partido Comunista Chinês estarem agindo em conivência com instituições e indivíduos. Numa mensagem de blogue no website Sina em 25 de dezembro, ele disse que os oficiais enviavam sinais para dar a impressão de que os preços dos imóveis estariam em rápida elevação e visando atrair mais compradores. No entanto, quem comprar agora perderá dinheiro, disse Niu Dao.

Medidas regulatórias

As autoridades chinesas têm enfatizado sucessivamente que não mudarão sua política de fazer o mercado imobiliário retornar a preços “razoáveis”. Na verdade, desde o início de 2012, as autoridades chinesas reiteraram sua política de conter o mercado imobiliário mais de 210 vezes, segundo o Beijing Morning Post.

Ren Zhiqiang, o CEO do Grupo Huayuan Pequim, cutucou as autoridades chinesas em 14 de dezembro num artigo publicado no website da emissora Phoenix de Hong Kong dizendo que nos últimos 10 anos as medidas regulatórias das autoridades foram erradas.

Ele disse que as autoridades chinesas ainda seguem um modelo econômico planejado e constantemente usam medidas administrativas para manipular o mercado. No entanto, cada medida regulamentar das autoridades foi errada, porque geralmente só tinha objetivo de curto prazo, mas resultava em efeitos colaterais de longo prazo, que basicamente destruíam o mecanismo da economia de mercado. Só o mercado pode ajustar a oferta e a demanda e resultar em preços razoáveis, disse Ren Zhiqiang.

A renomada economista Ye Tan é da opinião de que o mercado imobiliário em 2013 subirá de forma constante. Ela fez duas previsões num artigo publicado no National Business Daily em 26 de dezembro, dizendo que o mercado continuará a se dividir em duas direções extremas, como tem sido, e que as autoridades reiterarão que tomaram medidas eficazes para domar o mercado imobiliário, apesar do fato de que os preços continuam a subir em várias áreas.

Ye Tan disse que, embora as autoridades chinesas continuem a apertar o controle sobre o mercado imobiliário, é a atual oferta/demanda e a economia que criam a força motriz para os preços dos imóveis subirem.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas