Meia-calça antiperversão é a última resposta à violência sexual na China

Você quer desencorajar perversos (ou pretendentes)? Tente um par dessas meias-calças. A imagem dessas meias-calças cabeludas se tornaram virais na China recentemente (Weibo.com)

A divulgação recente de vários casos de violência sexual, principalmente violência sexual infantil conduzida por administradores e professores escolares na China e por autoridades do regime chinês, tem resultado em críticas indignadas, mas também em respostas irônicas.

Agora, as mulheres chinesas, especialmente as meninas, podem manter os perversos longe usando em público uma nova meia-calça antiperverção. Pelo menos é o que diz o anúncio no Sina Weibo, uma mídia social chinesa similar ao Twitter.

Quando uma garota veste um par dessas calças, suas pernas ficarão tão peludas como as de um homem – ou até mais. Internautas repassaram as imagens das meias-calças peludas, que ganharam grande popularidade na web chinesa.

Essas calças são “essenciais para todas as meninas usarem” nos dias de hoje, afirmaram postagens no Weibo. Mas um artigo do Huffington Post sugeriu que, se você quiser repelir assediadores, é melhor usar roupas íntimas de eletrochoque também.

Essas não são as únicas meias peludas disponíveis nos últimos anos. Em 2010, a J. Crew surpreendeu seus clientes com uma foto de uma modelo de pernas peludas em seu site, apenas para revelar que os “pelos” eram na verdade parte das calças que ela usava.

Alguns internautas expressaram dúvidas de que as calças “antiperversão” tivessem qualquer efeito. “Não importa que aparência uma pessoa tenha, um assediador ainda atacará”, disse uma internauta, citado pelo Huffington Post.

“Essas calças cabeludas não só afastarão os pervertidos, mas definitivamente também farão que bons candidatos mantenham distância”, argumentou outra. “Se a situação chegou a esse ponto, não seria melhor simplesmente vestir calças normais?”, escreveu uma internauta no Sina Weibo.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas