Médica alerta pais sobre perigos nas redes sociais após morte do filho por overdose

A Dra. Laura Berman, uma terapeuta de celebridades e especialista em relacionamento, emitiu um alerta na mídia social para os pais após a morte de seu filho por uma suposta overdose acidental de drogas.

Seu filho foi atraído pelo uso de drogas nas redes sociais, disse o médico.

“Meu lindo menino se foi”, escreveu ela no Instagram em 7 de fevereiro . “16 anos. Protegido em casa. Um traficante de drogas conectou-se a ele no Snapchat e deu-lhe Xanax ou Percocet com fentanil (a toxicologia dirá) e ele teve uma overdose em seu quarto. ”

A terapeuta aconselha os pais a monitorar o uso das mídias sociais por seus filhos adolescentes para mantê-los seguros.

(Cortesia de Laura Berman )

“Nós observamos de muito perto”, disse ela no post. “Estudante excepcional. Preparando-se para a faculdade … Fique de olho nos seus filhos e principalmente no SNAPCHAT. É assim que eles conseguem”.

De acordo com a CBS , Berman pediu ao Snapchat para cooperar com a investigação policial sobre a morte repentina de seu filho.

A empresa de mídia social disse que não apenas cooperará, mas tem uma política de “tolerância zero” e proíbe os usuários de explorar a plataforma para “fins ilegais”.

Ainda assim, suas políticas falharam em evitar a morte trágica e inesperada do jovem Sammy Berman.

(Cortesia de Laura Berman )

“Meu coração está completamente despedaçado e não tenho certeza de como continuar respirando”, compartilhou a mãe no Instagram. “Publico isso, agora, só para que mais uma criança não morra.”

Mais tarde, ela revelou ao Good Morning America que acredita que Sammy “pensou em experimentar algo e não tinha ideia de que isso o mataria”.

“Ele estava jogando videogame com os amigos, estava totalmente bem”, acrescentou. “E então, uma hora depois, fui falar com ele sobre essa prática que ele queria fazer, e ele estava inconsciente no chão, sem respirar.”

A mãe em luto ainda está esperando o laudo toxicológico, que revelará os medicamentos exatos que seu filho tomou antes da overdose.

Ao compartilhar sua história, Berman espera que mais pais se tornem cientes dos perigos que as mídias sociais representam para as crianças.

Ela explicou que achava que seu filho deveria passar mais tempo nas redes sociais para “pelo menos estar conectado” durante o confinamento e “se sentir menos isolado”.

“Não fazia ideia da existência de traficantes lá”, disse.

O Departamento de Polícia de Santa Monica declarou: “Uma investigação preliminar nos leva a acreditar que o uso de medicamentos prescritos pode estar envolvido.” Mas eles não comentaram sobre a plataforma Snapchat ou o papel que desempenhou no trágico acidente de Sammy.

(Cortesia de Laura Berman)

O aplicativo de mídia social disse em um comunicado público que eles estão “de coração partido com a morte dele”.

“Não temos prioridade maior do que manter o Snapchat como um ambiente seguro”, ele compartilhou. “Continuaremos investindo na proteção de nossa comunidade.”

De acordo com o ACT for Youth , 9 em cada 10 adolescentes usam mídia social, e o Snapchat está em terceiro lugar entre os aplicativos preferidos, atrás do YouTube e Instagram.

Os pesquisadores relataram que a Internet apresenta uma série de riscos para os adolescentes; Aos 18 anos, 1 em cada 5 adolescentes já foi exposto a material sexual não solicitado na Internet.

Aplicativos de monitoramento como o Bark e o Norton Family permitem que os pais monitorem a atividade móvel de seus filhos e, ao mesmo tempo, que fiquem conectados com os amigos.

 
Matérias Relacionadas