Violações de direitos humanos registradas no encontro da China na Europa

Onze praticantes do Falun Gong foram interceptados à força em Belgrado, tanto em seus hotéis como no aeroporto entre 14 e 15 de dezembro antes da cúpula dos países do Centro-Leste Europeu com a China, realizada na Sérvia no dia 16.

Estavam todos indo protestar contra a perseguição ao Falun Gong na China e procuraram expor a matança sancionada pelo Estado de prisioneiros de consciência por seus órgãos. A maioria das vítimas são praticantes do Falun Gong presos por suas crenças.

A Organização de Direitos Humanos Yukom na Sérvia emitiu uma declaração condenando os abusos dos direitos humanos. O escritório de advocacia sérvio Markovic and Partners está representando os praticantes do Falun Gong na tomada de medidas legais imediatas.

A polícia local levou nove praticantes, incluindo sete cidadãos búlgaros e dois russos, do Big Hostel em Belgrado aproximadamente às 10 horas no domingo. Nas 17 horas seguintes, a polícia de Belgrado negou que eles haviam sido detidos.

No entanto, de acordo com informações recebidas da Embaixada da Bulgária em Belgrado, eles foram mantidos em detenção fora de Belgrado. Até terça-feira, 16 de dezembro, eles ainda estavam detidos.

Dois cidadãos, um eslovaco e uma finlandesa, foram deportados do Aeroporto de Belgrado na segunda-feira à noite.

A cidadã finlandesa sra. Lan Lihua nasceu na China e se estabeleceu na Finlândia com os Refugiados das Nações Unidas depois de escapar da perseguição brutal na China.

Os praticantes do Falun Gong em diferentes países europeus exortam as autoridades sérvias a respeitar os direitos humanos fundamentais e libertar imediatamente os praticantes detidos.

 
Matérias Relacionadas