Mais um terrorista dizimado: Líder da al-Qaeda no Iêmen é morto em bombardeio dos EUA

Por Bruna de Pieri, Terça Livre

A Casa Branca confirmou nesta quinta-feira que, sob comando do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mais um líder terrorista foi eliminado.

Um ataque de drones das forças norte-americanas no Iêmen matou Qasim al-Rimi, fundador e líder da al-Qaeda na Península Arábica (AQPA).

Qasim al-Rimi era um dos terroristas mais procurados do mundo e o governo dos EUA oferecia uma recompensa de US$ 10 milhões (cerca de R$ 42,8 milhões) por informações que levassem à sua captura ou morte. Al Rami, de 41 anos, foi acompanhado por meses pelo governo americano.

Durante seu mandato, Trump já eliminou diversos terroristas, o mais recente, Qasem Soleimani. Comandante de alto escalão da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã, ele foi morto em um ataque aéreo realizado pelos Estados Unidos em Bagdá, capital do Iraque. Os EUA também já anunciaram no ano passado a morte de al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico.

Confira a íntegra do anúncio da Casa Branca sobre a morte de Qasim al-Rimi

“Sob a direção do presidente Donald Trump, os Estados Unidos realizaram uma operação de contraterrorismo no Iêmen que eliminou com sucesso Qasim al-Rimi, fundador e líder da al-Qa’ida na Península Arábica (AQAP) e vice-presidente da Al Qa’ida.

Líder da Qaeda, Ayman al-Zawahiri. Rimi ingressou na Al Qaeda na década de 1990, trabalhando no Afeganistão para Osama bin Laden. Sob Rimi, a AQAP cometeu uma violência incontrolável contra civis no Iêmen e procurou conduzir e inspirar numerosos ataques contra os Estados Unidos e nossas forças.

Sua morte degrada ainda mais a AQAP e o movimento global da Al Qaeda e nos aproxima de eliminar as ameaças que esses grupos representam à nossa segurança nacional. Os Estados Unidos, nossos interesses e nossos aliados estão mais seguros como resultado de sua morte”.

Com informações, R7

 
Matérias Relacionadas