Publicado em - Atualizado em 20/11/2017 às 23:27

Mais quatro mulheres acusam Bill Clinton de assédio sexual

O ex-presidente estadunidense Bill Clinton num comício na Flórida em 1º de novembro de 2015 (Joe Raedle/Getty Images)

O ex-presidente estadunidense Bill Clinton num comício na Flórida em 1º de novembro de 2015 (Joe Raedle/Getty Images)

Advogados de quatro mulheres não identificadas notificaram Bill Clinton que estão preparando ações judiciais contra ele por agressões sexuais ocorridas após o ex-presidente deixar o cargo em 2001.

Todas as mulheres estavam na adolescência quando teriam sido assediadas sexualmente por Clinton, de acordo com fontes bem posicionadas no Partido Democrata que falaram com Ed Klein, um ex-editor da New York Times Magazine e autor prestigiado. As mulheres buscam pagamentos substanciais de Clinton em troca de silêncio.

Os avanços sexuais ocorreram quando Clinton trabalhava para o bilionário Ron Burkle, que contratou Clinton para atrair negócios quando a dupla voou ao redor do mundo acompanhada de belas mulheres, informou o Daily Mail. As quatro mulheres trabalhavam em baixas posições na organização de Burkle.

Um membro da equipe jurídica de Clinton confirmou que estão cientes das acusações, mas não podem comentar sobre o assunto.

As negociações legais entre a equipe de Clinton e os advogados das supostas vítimas chegaram a um estágio crítico. Se não houver acordo, as mulheres desabafarão suas acusações numa conferência de imprensa.

“Bill está preocupado com o pensamento de ter que testemunhar e se defender contra acusações sexuais novamente”, disse um funcionário do Partido Democrata que sabe sobre o caso. “Ele espera que sua equipe jurídica possa de alguma forma impedir as mulheres de entrarem com um processo e arrastá-lo na lama.”

Clinton, com 71 anos, pagou 850 mil dólares para resolver um processo de agressão sexual contra Paula Jones na década de 1990. Isso levou ao seu impeachment na Câmara e à posterior absolvição pelo Senado. O passado do ex-presidente está nublado com inúmeras reivindicações credíveis de agressão sexual, incluindo estupro.

Não há evidências que sugiram que Burkle soubesse sobre os assédios.

Hillary Clinton, ex-secretária de Estado e candidata presidencial em 2016, no evento BookExpo 2017 no Centro de Convenções Jocob K. Javits em Nova York em 1º de junho de 2017 (Drew Angerer/Getty Images)

Hillary Clinton, ex-secretária de Estado e candidata presidencial em 2016, no evento BookExpo 2017 no Centro de Convenções Jocob K. Javits em Nova York em 1º de junho de 2017 (Drew Angerer/Getty Images)

Hillary Clinton ficou enfurecida ao saber que seu marido está envolvido em outro escândalo de agressão sexual, disseram fontes ao Daily Mail. Ela teria oferecido contratar investigadores privados para desenterrarem sujeira na vida das mulheres, mas foi dissuadida contra isso pelos advogados de Clinton.

“No passado, Hillary tinha uma equipe de detetives que conseguiram silenciar algumas mulheres em Little Rock que tinham queixas sobre os avanços sexuais indesejados ​​de Bill”, disse a fonte.

“Mas agora Hillary admite que há uma atmosfera diferente em nossa cultura sobre o assédio sexual e não é possível intimidar as mulheres ao silêncio sobre acusações que elas já decidiram tornar públicas.”

“Hillary quer permanecer na vista pública como uma líder da resistência contra Donald Trump e desempenhar um papel importante na política nos próximos anos, inclusive talvez até se candidatar a presidente novamente em 2020”, continuou a fonte.

“Ela tem medo que esse último escândalo possa destruir o legado de Clinton e naufragar seus planos”, continuou a fonte.

“O relacionamento entre Bill e Hillary tem sido mais uma relação de negócios há vários anos, exceto quando se trata de sua filha e netos”, disse a fonte.

“Eles não vivem como esposo e esposa há vários anos, principalmente por causa das escapadas amorosas de Bill com outras mulheres.”

“Tornou-se óbvio anos atrás que mesmo a idade não fariam Bill se acalmar e parar de perseguir as mulheres. Hillary simplesmente ignorou e viveu sua vida separada.”

“Bill passa grande parte do seu tempo em seu apartamento sobre a Biblioteca Presidencial Clinton em Little Rock“, acrescentou a fonte. “Hillary ocasionalmente vai a Little Rock, mas ela se recusa a ficar no apartamento porque sabe que é o ninho de amor de Bill.”

A Biblioteca Presidencial William J. Clinton em Little Rock, Arkansas, em 17 de novembro de 2004 (Scott Olson/Getty Images)

A Biblioteca Presidencial William J. Clinton em Little Rock, Arkansas, em 17 de novembro de 2004 (Scott Olson/Getty Images)

Republicado da NTD.tv

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016