Mais da metade dos produtos vendidos online na China são falsificações, diz estudo

Taobao, um mercado gigante online e equivalente chinês do eBay, foi auditado recentemente pelos reguladores da indústria na China. Eles descobriram que, em alguns casos, mais da metade dos itens vendidos eram falsificados.

O número de produtos genuínos no Taobao foi de 37,25%, segundo a Administração Estatal da Indústria e Comércio (AEIC) da China, ou seja, o restante, com base nas amostras investigadas, era falsificação.

A AEIC, um departamento governamental, avaliou amostras de 92 produtos, descobrindo que 54 deles, ou 58,7%, eram genuínos. O resultado foi muito pior para telefones celulares, apenas 28,57% eram autênticos, segundo o Beijing Times, um jornal estatal sob o Diário do Povo.

A pesquisa não visou apenas o Taobao, mas outros grandes varejistas online, incluindo Jingdong Mall, Tmall.com e uma série de outros. As categorias de produtos observadas incluem cosméticos, eletrônicos, brinquedos infantis, autopeças, roupas e insumos agrícolas. Eles selecionaram marcas de renome em variados setores – muitas vezes incluindo produtos de marcas estrangeiras – e avaliaram se o que estava sendo vendido sob essas marcas era a coisa real.

Na conclusão do relatório, a AEIC emitiu uma advertência severa aos varejistas online por sua “frouxa supervisão”.

Os resultados conflitam com as afirmações de Jack Ma, o CEO e presidente do Alibaba, a maior empresa de e-commerce da China, que recentemente realizou sua oferta pública inicial na Bolsa de Nova York, e que é proprietária do Taobao.

Em novembro passado, no Fórum Mundial da Internet em Yiwu, Zhejiang, Jack Ma disse: “Se estivéssemos vendendo produtos falsificados, estaríamos fazendo 6 ou 7 bilhões de yuanes em transações todos os dias?” Não há produtos falsificados no Taobao, disse ele.

 
Matérias Relacionadas