Mais empresários aderem ao plano de construir casas para soldados cubanos que ficarem contra a ditadura

Por Alicia Marquez

Um empresário cubano que há poucos dias ofereceu moradia aos militares cubanos que se manifestam contra a ditadura, disse que tem recebido grande apoio de diversos empresários, avaliado em milhões de dólares, para realizar esta iniciativa.

Sergio Pino, presidente e fundador do Century Homebuilders Group , se comprometeu a construir casas para os militares que “derem o passo” durante um evento realizado na quarta-feira na Casa da Brigada 2506 organizada pelo exilado cubano em Miami.

Em seu discurso, destacou que a liberdade de Cuba pode vir muito rapidamente “se as Forças Armadas largarem as armas e fizerem o que é certo – cuidar do povo”.

Dias depois de anunciar sua promessa, o empresário cubano disse ao Epoch Times que empresários de diversos setores estão dispostos a aderir à sua iniciativa.

“ Nas últimas horas recebemos muitos chamados de suporte”, disse Pino. “ Há muitos empresários que também querem fazer algo semelhante em outras áreas [como] medicina, bancos, seguros, lojas de roupas, [concessionárias] de automóveis, construtoras, entre outras”, acrescentou.

“Estou muito feliz porque em tão pouco tempo tenho compromissos de milhões de dólares para o nosso plano de construção de casas”, disse.

O empresário disse que nos próximos dias continuará conversando com mais dirigentes cubanos para solicitar ajuda financeira e disse que tem certeza de que não será o único cubano exilado que desejará apoiar o esforço.

“Há  cubanos fora de Miami e todos nós  tivemos sucesso em diferentes posições”, disse ele. “ Agora é nossa responsabilidade moral voltar a Cuba para reconstruir e ajudar nossos irmãos a ter uma vida melhor”.

“ E é muito importante que eles possam desfrutar do direito mais importante – a liberdade”, acrescentou.

Respondendo a sua perspectiva sobre a situação em Cuba nos próximos meses após a morte dos 7 soldados cubanos, Pino disse: “Se esta situação não for resolvida, acredito que mais soldados desaparecerão pela ditadura”.

“Entendemos que dentro do exército há muitos soldados que não concordam com o sistema. No entanto, cada vez que a inteligência cubana toma conhecimento de um plano, eles desaparecem ”, acrescentou.

No entanto, sua esperança está nas forças armadas.

“São eles que têm o poder se se unirem para virar as armas e defender os cubanos que hoje estão nas ruas sem comida, sem vacinas, sem remédios e pedindo liberdade”, disse.

“[Por isso] aqueles que derem o passo em frente para nos dar uma Cuba livre serão recebidos de braços abertos e meu compromisso é construir casas para eles”, disse Pino.

Na semana passada, o governo Biden anunciou uma segunda rodada de sanções contra a Polícia Nacional Revolucionária (PNR) de Cuba e dois de seus líderes em relação à repressão aos massivos protestos contra o regime de Castro desde 11 de julho no páis.

Com informações da EFE.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

 
Matérias Relacionadas