Regime chinês força lavagem cerebral comunista em praticantes do Falun Gong

Uma nova sessão de lavagem cerebral recentemente começou a ser realizada no Hotel Shengyin (圣银宾馆) na cidade de Xining, província de Qinghai. Mais de dez praticantes de Falun Gong foram presos e enviados para o hotel desde 28 de outubro.

A polícia local, bem como os membros da Agência 610 e do Comitê Político e de Assuntos Jurídicos (CPAJ) de Qinghai, estão por trás da nova onda de prisões e sessões de lavagem cerebral.

Centros de lavagem cerebral têm aparecido em toda parte depois que o Partido Comunista Chinês aboliu seu sistema de campos de trabalho sob pressão internacional no ano passado. Estas instalações extralegais, muitas vezes escapam do escrutínio de outros países porque estão em locais como escolas ou hotéis.

No caso da cidade de Xining, as sessões de lavagem cerebral consistem em que cada praticante preso é isolado numa sala separada do hotel e vigiados toda hora. A Agência 610 despachou sua própria equipe e alguns cidadãos privados para servir como monitores. O objetivo da sessão de lavagem cerebral é forçar os praticantes do Falun Gong a renunciarem às suas crenças.

Tais centros de lavagem cerebral são muitas vezes financiados por apropriações do governo. Impulsionada por incentivos financeiros, a indústria de lavagem cerebral se tornou uma indústria altamente lucrativa para aqueles com interesses investidos nela.

A sessão de lavagem cerebral de Xining recebeu um financiamento de mais de 200 mil yuanes do CPAJ local.

Localizado na rodovia 33 Tong’an, distrito de Chengzhong, o Hotel Shengyin realizou três sessões anuais de lavagem cerebral desde a sua abertura, há três anos.

Minghui.org

 
Matérias Relacionadas