Mais de 500 alemães compõem fileiras do Estado Islâmico

Cerca de 550 cidadãos alemães integram as fileiras do grupo radical Estado Islâmico, revelou sábado (22) o ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière.

Leia também:
Muçulmanos protestam contra uso do nome ‘Estado Islâmico’ por terroristas
Papa Francisco está na mira dos terroristas jihadistas islâmicos, segundo serviço secreto italiano
Organização terrorista ISIS quer formar seu próprio país

“De acordo com as mais recentes estimativas de que dispomos, o número aumentou. Trabalhamos agora com 550. Ainda há alguns dias tínhamos contabilizado 450”, disse Maizière, durante uma entrevista à cadeia de televisão Phoenix.

“Em comparação com os últimos anos, trata-se de um grande aumento”, acrescentou o ministro, afirmando que a maioria dos candidatos a integrar a “jihad” são homens, mas que algumas mulheres também se alistaram.

“Estes jovens (…) radicalizaram-se na Alemanha, nesta sociedade. Por isso, a prevenção deve acompanhar a repressão”, prosseguiu Maizière.

Em território alemão, cerca de 230 pessoas são atualmente consideradas potenciais ameaças, sendo “que em alguns casos preparem um atentado”, estimou o ministro.

O Governo alemão anunciou em meados de outubro medidas que preveem a retirada dos documentos de identificação a presumíveis extremistas para impedi-los de partirem para combater na Síria e no Iraque.

 
Matérias Relacionadas