Mãe espera que investigações contra Huawei tragam justiça para morte de seu filho

Durante anos, a família Todd tem enviado relatórios de evidências e análises para as autoridades de Singapura e agências do governo dos Estados Unidos, tentando provar que Shane Todd foi assassinado em conexão com o acobertamento do suposto roubo da tecnologia norte-americana pela Huawei

Por Nathan Su

A investigação em andamento da gigante de tecnologia chinesa Huawei ajudou uma mãe americana a recuperar a esperança de que, após sete anos, ela veja a justiça pela morte de seu amado filho, Shane Todd.

Durante anos, a família Todd tem enviado relatórios de evidências e análises para as autoridades de Singapura e agências do governo dos Estados Unidos, tentando provar que Shane Todd foi assassinado em conexão com o acobertamento do suposto roubo da tecnologia norte-americana pela Huawei. Ele foi encontrado enforcado em seu apartamento em Singapura, em 24 de junho de 2012.

A Huawei está atualmente sob investigação de promotores federais por roubo de propriedade intelectual e por violar sanções contra o Irã.

“Queremos uma investigação do Congresso sobre a morte do meu filho em relação à Huawei”, disse Mary Todd, mãe de Shane Todd, em uma recente entrevista por telefone ao Epoch Times.

A família Todd espera que a investigação de sua morte possa revelar “até onde vão algumas empresas e governos estrangeiros para proteger o trabalho clandestino ou a reputação internacional”, como os pais Rick e Mary Todd afirmaram em uma carta aberta publicada online.

Pressionado

Shane Todd tinha doutorado em engenharia elétrica e liderava uma equipe especial de desenvolvimento de GaN (nitreto de gálio), com o Instituto de Microeletrônica (IME), uma divisão bem-conceituada da Agência de Ciência, Tecnologia e Pesquisa Avançada do governo de Singapura.

De acordo com um relatório do Financial Times (FT) publicado em fevereiro de 2013, o IME havia comprado um sistema multimilionário MOCVD (Metal Organic Chemical Vapor Deposition) da Veeco, uma empresa de tecnologia sediada nos Estados Unidos.

A tecnologia da Veeco pode ser usada para fins comerciais e militares.

A FT informou que o IME obteve uma licença de aplicativo comercial da Veeco, enquanto, ao mesmo tempo, o IME também estava trabalhando com a Huawei. Essa conexão deu à Huawei a oportunidade de obter a tecnologia da Veeco através do trabalho com o IME. Uma vez que a tecnologia foi obtida, ela poderia ser adotada para uso militar.

De acordo com a FT, Todd disse a seus pais que ele estava colaborando com uma empresa chinesa no IME. Ele disse: “Fui convidado para fazer algumas coisas com uma empresa chinesa que me deixaram desconfortável”.

Todd disse à sua família que estava sendo pressionado a comprometer a segurança dos Estados Unidos e se recusou a fazê-lo. Ele estava preocupado com sua própria segurança por causa do trabalho que estava fazendo com essa empresa chinesa.

Esta empresa chinesa foi posteriormente identificada como a Huawei, através de documentos encontrados no disco rígido externo de Todd após a sua morte.

“Ele lutou por sua vida”

A família Todd disse o que eles encontraram no apartamento de Shane, que ele estava lavando e dobrando suas roupas, e arrumando sua bagagem no momento em que ele morreu.

Seu bilhete de avião para os Estados Unidos foi encontrado em sua mesa depois que ele morreu.

Mas a polícia de Singapura decidiu imediatamente que a morte de Shane Todd foi um suicídio e recusou-se a reabrir a investigação, mesmo depois que a família Todd os informou que Shane Todd havia expressado medo por sua vida.

Mary Todd disse que a polícia de Singapura se recusou a fornecer-lhe qualquer relatório de investigação por escrito, explicando sobre como eles determinaram que a morte foi suicídio.

Os computadores de Shane Todd foram todos levados quando sua família chegou a Singapura, mas, felizmente, a família Todd encontrou um disco rígido externo da Seagate deixado em seu apartamento. Ele tinha feito backup de seus computadores no disco rígido.

O trabalho e as relações de Shane Todd com o IME, Veeco e Huawei foram todos gravados neste disco rígido.

“Deus estava nos ajudando”, disse a sra. Todd ao Epoch Times.

Depois que o corpo de Shane Todd foi trazido de volta para os Estados Unidos, sua família encontrou especialistas para analisar a possível causa de sua morte.

O corpo de Todd foi encontrado com hematomas, feridas e marcas de arranhões. “Ele lutou por sua vida”, disse Mary Todd.

“Há muito pouco ou nenhum apoio para constatar que a causa da morte de Shane Todd tenha sido suicídio”, disse um relatório preparado pelo Dr. David Camp. Camp é chefe de departamento e professor titular de justiça criminal no Blackburn College e fundador da EnSol LLC, especializada em detectar informações ocultas.

A decisão de suicídio da polícia de Singapura baseou-se em grande parte em notas de suicídio deixadas no apartamento de Todd, disse Mary Todd.

As notas não foram escritas, mas datilografadas como “inglês asiático, não inglês americano”, disse ela.

Quando as anotações foram apresentadas a Mary Todd por um detetive de Singapura, Mary Todd leu as anotações e as devolveu ao detetive. “Meu filho pode ter se matado, mas ele não escreveu isso”, disse ela.

Camp concluiu em seu relatório que o conteúdo das notas de suicídio “não é consistente com alguém criado e socializado na cultura ocidental … é claro que o autor foi alguém criado e socializado em uma cultura diferente”.

Camp também afirmou em seu relatório que “as indicações sugerem uma pessoa de uma cultura oriental como a China” [como a autora das notas].

Investigação da Huawei

A família Todd enviou ingenuamente todas as evidências e relatórios de análises que eles receberam nos Estados Unidos para as autoridades de Singapura, esperando que reabrissem a investigação.

A família Todd também enviou os relatórios de evidências e análises para várias agências do governo dos Estados Unidos, incluindo altos funcionários do governo Obama, mas recebeu pouca ajuda.

O relatório do FT gerou muitas atenções da mídia, de Hollywood, do FBI e do Senado e Congresso dos Estados Unidos, mas conseguiu muito pouco para trazer justiça à morte de Todd.

A sra. Todd disse que o então representante. Frank Wolf (R-Va.), em seu escritório em Washington, disse a ela que ela e seu marido estavam fazendo a coisa certa, mas eles não iriam chegar a lugar nenhum por causa do dinheiro e do poder.

Mary Todd foi informada por Wolf que a Huawei havia comprado tudo em Washington, e tinha um escritório de advocacia em todos os cantos.

Ainda assim, Mary Todd se lembra de ter recebido ajuda de muitos senadores e congressistas, mas ela acredita que “esta história foi encerrada do mais alto nível sob a liderança de Hillary Clinton e Barack Obama”.

Para continuar buscando justiça para a morte de seu filho, Mary Todd publicou um livro: “Disco rígido: luta de uma família contra três países”. O livro inclui os detalhes das experiências da família Todd que tratam desse caso nos últimos sete anos.

Agora, com as atuais investigações sobre a Huawei, Mary Todd espera que seja lançada nova luz sobre a investigação da morte de Todd.

Mary Todd disse ao Epoch Times que todas as evidências e relatórios foram entregues recentemente à Agência Nacional de Segurança, com a ajuda do deputado Greg Gianforte (R-Mont.).

O esforço de Mary Todd foi apoiado por suas famílias e amigos.

“À luz dos esquemas aparentemente deliberados do governo chinês de usar suas empresas de tecnologia para adquirir ilegalmente tecnologia comercial e militar, os americanos devem ficar particularmente perturbados com os detalhes do caso do Dr. Todd”, disse Christina Villegas, professora assistente de ciências políticas na California State University, em San Bernardino. Ela também é prima de Shane e coautora do livro: “Disco rígido: luta de uma família contra três países”.

Villegas, em uma recente carta a Gianforte apoiando a investigação federal da Huawei, disse que a acusação da Huawei deve incluir a investigação sobre a morte do engenheiro americano Shane Todd.

 
Matérias Relacionadas