Macaco solitário segura a mão do socorrista após ter sido negligenciado em uma pequena gaiola por sete anos

Por Michael Wing

À medida que o habitat da vida selvagem diminui, os inevitáveis ​​confrontos entre seres humanos e animais em todo o mundo trazem um sofrimento cada vez maior a uma infinidade de espécies animais. É realmente uma tragédia de se ver.

O lado positivo, porém, é que, onde há tragédia, há pessoas boas que se disponibilizam a socorrer.

WFFT

Graças à Wildlife Friends Foundation na Tailândia (WFFT), em agosto de 2018, vários animais enjaulados em condições esquálidas do lado de fora de um templo na província de Rayong foram emancipados de sua vida de negligência. E um encontro em particular não pode deixar de agitar o coração humano.

Nos últimos sete anos, um pequeno macaco chamado Khai Now viveu em uma pequena gaiola de arame perto do templo, provavelmente abandonada por seu antigo proprietário. No templo, havia também mais de 100 outros animais como ele.

O nível de negligência foi vergonhoso. Sem espaço para escalar ou pular, Khai Now passava os dias agachado no canto. Enquanto isso, transeuntes indiferentes jogavam lixo, restos ou até álcool nele. Khai Now estava fraco, imundo e insuportavelmente solitário.

Quando Tom Taylor, da WFFT, chegou ao local para examinar a situação em preparação para um resgate, Khai Now estava agachado em uma bola, escondendo o rosto. O que se desenrolou a seguir foi verdadeiramente comovente.

Taylor se aproximou do macaco. Khai Now passou a mãozinha pela rede de arame e agarrou o dedo de Taylor, desesperado por companhia. Por fim, ali estava uma alma gentil que se importava com ele. Taylor tirou várias fotos da interação.

WFFT
WFFT

Ele ficou parado por um tempo, conversando com Khai Now e dando-lhe água para beber.

Pouco tempo depois, eles trouxeram Khai Now para o santuário da WFFT, onde ele teria uma segunda chance na vida. Finalmente, seus dias de terrível negligência terminaram. A vida no santuário permitiu a Khai Now revelar que ele tem um lado sensível, embora anos de angústia tenham deixado sua marca. Ele estava desnutrido e sofria de problemas comportamentais devido ao isolamento.

“Os macacos são altamente sociais e a comunicação tátil é uma parte vital de suas sociedades, cuidando, brincando, abraçando, eles precisam de interação social com sua própria espécie”, disse Taylor ao The Dodo.

“Existem inúmeros benefícios da higiene social, incluindo melhoria da higiene, liberação de endorfinas e redução do estresse”.

Levará algum tempo até que o Khai Now esteja pronto para ser reintroduzido a outros macacos novamente. Enquanto isso, ele tem um grande recinto no santuário, com muito espaço para escalar e muita fruta fresca para desfrutar.

“Khai Now é uma alma gentil”, acrescentou Taylor. “Ele não queria nada mais do que me tocar ou me abraçar como conforto.

“Nunca deixamos de nos surpreender ao ver que animais como o Khai Now ainda possam ter algum nível de confiança nos seres humanos após tudo o que foi feito com eles.”

WFFT

 

 
Matérias Relacionadas