Lula e Dilma sabiam do Petrolão, afirma doleiro Alberto Youssef

Existem várias formas de se ganhar a vida honestamente: gerenciar projetos, vender cachorro-quente, jogar futebol, editar vídeos, fazer websites, cortar cana e daí por diante.

Assim como existem várias formas criminosas de se ganhar a vida, como traficar drogas, fazer sequestros, roubar cartas e o que valha.

Existe uma outra forma monstruosa, a partir do bolivarianismo, o novo formato de socialismo latino-americano, já praticado por Bolívia, Equador, Argentina e Venezuela e pelo PT no Brasil, embora aqui não tenham alcançado sua plenitude.

O escândalo do Petrolão é um resultado do bolivarianismo, pois a intenção dessa gente é sempre aparelhar o estado para poder saqueá-lo. Quando as coisas se complicam, implementar coletivos não-eleitos e a censura de mídia. A corrupção em grande escala desse jeito é uma constante nesse tipo de governo. É evidente que está acima do que qualquer outro partido brasileiro já fez. Com os bolivarianos, a corrupção é sempre do nível de Stalin, Mao, etc…

Como diz o ditado: o diabo ajuda a fazer, mas não ajuda a esconder, por isso a censura de mídia é tão importante.

Enfim, na última terça-feira (21), Alberto Youssef, o doleiro que tem contado tudo, respondeu a um interrogatório na PF em Curitiba como parte de seu processo de delação premiada.

Quando foi questionado sobre o nível de responsabilidade de líderes do governo e do PT na corrupção na Petrobras, Youssef disse:

— O Planalto sabia de tudo!

— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.

— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.

É claro que estamos diante de um caso de impeachment. Basta lembrar o que diz a lei 1079:

“Art. 2º Os crimes definidos nesta lei, ainda quando simplesmente tentados, são passíveis da pena de perda do cargo, com inabilitação, até cinco anos, para o exercício de qualquer função pública, imposta pelo Senado Federal nos processos contra o Presidente da República ou Ministros de Estado, contra os Ministros do Supremo Tribunal Federal ou contra o Procurador Geral da República.”

Dilma havia falado em ressarcir o que foi roubado da Petrobras, mas usava uma expressão angelical para se declarar inocente. Agora, a bola caiu para o lado dela e do Barba.

Quer dizer que toda a encenação feita por ela nos últimos dias para “reconhecer os crimes da Petrobras”, enquanto negava seu envolvimento, caiu por terra.

E notem que esta é uma candidata que usa de encenação teatral quando alguém a chama de “leviana”. Agora vemos que leviana é um elogio para ela.

Aguardemos o pronunciamento do Sr. Aécio Neves, pois estamos diante de uma candidata que não tem legitimidade nem para seguir concorrendo quanto mais para continuar no cargo.

Agora é hora de partir para a assertividade plena.

Ceticismo Político

 
Matérias Relacionadas