Líder norte-coreano teria túneis de fuga para China, diz mídia sul-coreana

Com as tensões crescentes entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, todos os movimentos de Kim Jong-un estão sendo observados de perto. O líder do regime norte-coreano visitou recentemente partes do norte do país perto da fronteira chinesa, levando a mídia sul-coreana a especular que Kim construiu passagens secretas para a China.

Em 3 de dezembro, Kim inspecionou a Fábrica de Pneus Amnokgang na província de Chagang, que faz fronteira com a China, de acordo com a estatal norte-coreana Agência Central Coreana de Notícias (KNCA). Durante a visita, Kim agradeceu aos trabalhadores da fábrica pelo fornecimento de pneus que foram usados ​​nos veículos de transporte que levaram o míssil balístico intercontinental Hwasong-15.

Três dias depois, em 6 de dezembro, Kim fez outra viagem ao norte do país. Ele visitou uma nova fábrica de produção de amido de batata no condado de Samjiyon, província de Ryanggang, que também está perto da fronteira chinesa. Fotos fornecidas pela agência de notícias norte-coreana mostram um Kim radiante diante de um armazém cheio de batatas.

Coreia do Norte, guerra - O líder norte-coreano Kim Jong-un visita a Fábrica de Pneus Amnokgang na província de Chagang, Coreia do Norte, em 3 de dezembro de 2017 (AFP/Getty Images)
O líder norte-coreano Kim Jong-un visita a Fábrica de Pneus Amnokgang na província de Chagang, Coreia do Norte, em 3 de dezembro de 2017 (AFP/Getty Images)

As duas visitas foram rapidamente apanhadas pela mídia sul-coreana. De acordo com uma reportagem publicada em 7 de dezembro pelo Chosun Ilbo, um dos principais jornais sul-coreanos, a aparição inusitada e de destaque de Kim na região, apesar da presença militar reforçada dos EUA na Coreia do Sul recentemente, sugeririam que ele poderia ter uma rota de fuga no evento dos EUA iniciarem uma greve contra o país. Kim geralmente não faz aparições públicas quando os EUA realizam exercícios militares no Sul, observou o jornal. Citando a análise de uma fonte norte-coreana, o jornal disse que Kim pode ter túneis de fuga secretos para a China, embaixo das montanhas em Chagang e Ryanggang.

Na semana passada, a Coreia do Sul e os Estados Unidos encerraram um exercício militar conjunto de cinco dias. O exercício anual, chamado Vigilant Ace, envolveu mais de 230 aeronaves de ambos os países, de acordo com a Reuters. Participaram nos exercícios os caças F-22 Raptor e os furtivos F-35.

Leia também:
Guerra vindoura é “um fato estabelecido”, diz oficial norte-coreano
China e Rússia dizem que não podem fazer mais sobre Coreia do Norte
Funcionário da ONU visita Coreia do Norte visando a prevenir conflito

O treinamento militar intensificou até 6 de dezembro, quando os caças F-22 e as aeronaves B-1B Lancer, os bombardeiros estratégicos mais temidos do mundo, concluíram o exercício simulando bombardeamentos na Coreia do Sul, de acordo com a agência oficial de notícias sul-coreana Yonhap. A aparente escalada na sinalização militar ocorreu após o último teste de míssil balístico da Coreia do Norte em 29 de novembro.

Não está claro se Kim poderia escapar ileso por esses túneis secretos para a China no caso de um bombardeio dos Estados Unidos ou mesmo se eles existissem. Mas, de acordo com uma matéria da mídia japonesa Nikkei, os Estados Unidos podem realizar algum ataque em torno de 18 de dezembro. A matéria afirmou que o presidente estadunidense Donald Trump decidiu realizar um “ataque de decapitação” (o que significa derrubar o líder do país) contra Kim em torno do dia 18 de dezembro, uma vez que as autoridades norte-americanas haviam predito que o desenvolvimento do míssil Hwasong-15, que a Coreia do Norte afirma poder chegar a qualquer parte dos Estados Unidos, seria concluído até o final do ano.

 
Matérias Relacionadas