Líder chinês insere partidários em cargos locais

O líder chinês Xi Jinping no Grande Salão do Povo em Pequim. Ele tem posicionado membros associados com a Liga da Juventude Comunista em posições regionais pela China (Goh Min Chin/AFP/Getty Images)

Na tentativa de garantir que seus decretos sejam efetivamente concretizados em todo o país, o novo líder chinês Xi Jinping tem deslocado aliados no governo central para importantes posições oficiais nos governos provinciais, dessa forma, desmantelando gradualmente a rede construída pelo ex-líder Jiang Zemin, e suas alianças na Liga da Juventude, a base de poder do líder precedente Hu Jintao, têm desempenhado um papel fundamental nessa manobra.

“Estes funcionários recém-nomeados têm uma compreensão melhor das políticas do governo central”, disse Wu Junfei, um pesquisador do Instituto Tianda de Hong Kong, falando à Agência Central de Notícias de Taiwan.

No final de maio, quase 20% dos 591 altos oficiais locais em 31 províncias foram “inseridos” por Pequim, segundo o Semanário do Sul.

Pela primeira vez em décadas, metade dos governadores provinciais tinham antecedentes no governo central e a maioria foi posicionada no ano passado, segundo o Diário da Manhã do Sul da China.

De acordo com um comunicado de 27 de junho do Departamento de Organização do Partido Comunista Chinês (PCC), 816 membros do PCC foram “eleitos” para postos de liderança na China a nível provincial e em órgãos consultivos políticos desde o início do ano.

Xi Jinping, que tem sido secretário-geral do PCC desde novembro passado e presidente da República Popular da China (RPC) desde março, tem um acervo limitado de oficiais do PCC que lhe são leais e conhecidos, por isso, tem sido sua prioridade encontrar recrutas. Reforçar o que o pesquisador Wu chama de desejo de um “governo forte”, tem sido o princípio fundamental desta remodelação.

“Apenas 35-40% de todas as agências governamentais provinciais e locais executam e reforçam adequadamente as políticas, regulamentos e medidas emitidos pelo governo central”, disse o primeiro-ministro chinês Li Keqiang, segundo a revista Cheng Ming de Hong Kong no início de maio. A imprensa política de Hong Kong regularmente publica relatos de fontes privilegiadas sobre o que altos oficiais chineses dizem, embora seja muitas vezes impossível de verificar.

O Semanário do Sul disse que o Comitê Central da Liga da Juventude Comunista tem desempenhado um papel importante na criação de novos líderes e, em comparado com 51 outros departamentos centrais, teve o maior número de funcionários transferidos nesta remodelação.

A Liga da Juventude é a base de poder do ex-líder chinês Hu Jintao.

Considerando que Xi Jinping ainda não tem uma grande rede com seu próprio pessoal, ele tem recorrido à Liga da Juventude, segundo o comentarista Lin Zixu, falando com a NTDTV. “Ele só tem confiança em pessoas associadas a Hu Jintao e [ao ex-primeiro-ministro] Wen Jiabao”, disse Lin Zixu.

O comentarista acrescentou que Jiang Zemin, o líder anterior a Hu Jintao, implantou muitos de seus asseclas ao longo dos anos, os quais desenvolveram suas próprias bases de poder local, e que restringir e controlar este grupo “se tornou uma necessidade” do novo governo.

Numa reunião do Politburo, o órgão dirigente do PCC, realizada entre 22 e 25 de junho, Xi Jinping pediu aos membros do Politburo que assumissem a liderança em “salvaguardar a autoridade do Partido Central”, relatou a mídia estatal China Central de Televisão (CCTV).

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas