Publicado em - Atualizado em 11/05/2012 às 23:14

Lei da Copa que libera venda de bebidas alcoolicas nos estádios é aprovada no Senado

Votação da proposta mobiliza senadores governistas e da oposição durante a sessão de ontem no Plenário. (Moreira Mariz/Agência Senado)O projeto da Lei Geral da Copa aprovado pelos senadores segue para sanção da presidente Dilma Rousseff

O texto aprovado no Senado na quarta à noite(9/5) suspende artigo do Estatuto do Torcedor que impede o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios. As regras permitem a Fifa negociar a liberação nas cidades sedes e valem também para Copa das Confederações de 2013, informou o portal da Copa.

Um dos relatores do projeto, senadora Ana Amelia Lemos (PP/RS) lamentou a aprovaçao da venda de bebidas alcoólicas durante o Mundial. Disse que o Congresso não pôde fazer nada além de homologar acordo feito pelo governo com a Fifa , publicou o jornal do Senado.

O arcabouço legal aprovado pelo Senado (PLC10/2012) determina a responsabilidade civil da Uniao por danos à Fifa, seus representantes legais, empregados e consultores nos termos do parágrafo 6º da Constituiçao”.

O texto faculta ao governo brasileiro decretar feriados e os sistemas de ensino antecipar férias escolares, segundo o portal da Copa.

O Ministro do Esporte,  Aldo Rebelo, na reunião com a cúpula da Fifa e o  Comite Organizador Local(COL), na ultima quarta(8/5), em Zurique na sede da Fifa,   mostrou  confiança na aprovação do projeto da Lei Geral da Copa pelo Congresso Nacional quando disse “O governo brasileiro está não só orgulhoso, mas entusiasmado e dedicado para  cumprir todos os compromissos assumidos em relação à Copa do Mundo da FIFA 2014 e para fornecer apoio à FIFA e ao COL sempre que houver desafios a superar”, informou o portal da Copa.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016