Legislador republicano quer responsabilizar a China por suas práticas comerciais desleais

Projeto de lei visa impedir a China de competir injustamente com produtos falsificados inundando o mercado, de acordo com legislador

Por Danella Perez Schmieloz

Um projeto de lei bipartidário dos Estados Unidos busca responsabilizar o Partido Comunista Chinês (PCC) por suas práticas comerciais desleais, de acordo com o deputado Bill Johnson (Republicano de Ohio), que co-patrocinou a legislação com o deputado Terri Sewell (Democrata do Alabama).

O projeto de lei visa “impedir [a China] de competir injustamente com produtos falsificados, inundando o mercado”, bem como “por meio de seus países substitutos”, afirmou Johnson ao programa “Capitol Report” da NTD. NTD é um parceiro de mídia do Epoch Times.

A “Lei de Condições Iguais 2.0”, introduzida no dia 2 de dezembro, também visa abordar os subsídios transfronteiriços. “Muitos países como a China … subsidiam suas indústrias manufatureiras para fornecer às empresas de seu país a capacidade de reduzir seus preços a um ponto em que as empresas americanas não possam competir”, relatou Johnson.

O congressista citou o caso de uma empresa manufatureira em Marietta, no estado de Ohio. Ele afirmou que o pequeno negócio tem sido afetado pela concorrência chinesa desleal de ímãs flexíveis nos Estados Unidos – ou seja, a venda desses produtos por menos do que o valor justo – a um custo que não foi suficiente para que a empresa pudesse comprar os ímãs as matérias-primas necessárias para produzi-los.

A empresa Magnum Magnetics Corp entrou com uma petição na Comissão de Comércio Internacional dos EUA, que determinou que a concorrência desleal da China e de Taiwan por ímãs flexíveis em bruto ameaçava a indústria dos EUA. Como resultado, a Administração de Comércio Internacional do Departamento de Comércio aplicou direitos antidumping sobre ímãs flexíveis da China e de Taiwan, em setembro de 2008.

No entanto, de acordo com Johnson, a China conseguiu contornar o pedido, usando o Vietnã como representante para colocar o mesmo produto no mercado americano. “O mesmo produto começou a inundar os Estados Unidos enfraquecendo aquela … pequena empresa, e eles enfrentaram o problema novamente”, afirmou ele.

O congressista Johnson afirma que a China precisa entender que deve agir com sensatez como parte da “comunidade das nações”, ou enfrentará terríveis consequências.

Ele também argumentou que por causa da supressão da liberdade pelo PCC, a China carece “da cultura que gera inovação e engenhosidade”, então depende do roubo de conhecimento e tecnologia dos Estados Unidos e de outras nações ocidentais.

Segundo Johnson, isso coloca os chineses “em uma geração de extinção”, fato que os países ocidentais deveriam usar em seu proveito, estabelecendo regras claras para lidar com a China. O boicote diplomático das Olimpíadas de Inverno de 2022 em Pequim pelos Estados Unidos, Reino Unido e outras nações ajudou a enviar essa mensagem ao PCC, afirmou ele.

Quando questionado sobre os negócios das empresas americanas com a China, Johnson afirmou que algumas empresas americanas que exportam aço, tecnologia e investimentos para a China estão “alheias à ameaça chinesa”.

“Elas não entendem que as tecnologias, mesmo as de baixo custo … podem ser aproveitadas e usadas na área militar e de inteligência, particularmente a tecnologia da informação”, declarou Johnson.

“Eles estão tão preocupados com os resultados financeiros deles que estão dispostos a ignorar o que os chineses estão fazendo e não entendem o risco existencial que os chineses representam para o mundo livre agora”, acrescentou.

O legislador do Partido Republicano ainda mencionou que embora a administração Trump tenha “feito algum progresso” no tratamento da ameaça do PCC na frente comercial, ele está preocupado que a administração Biden possa “desviar os olhos da bola”.

No entanto, Johnson acredita que esta é uma causa que pode unir as duas partes.

“Acredito que a questão da China, o desequilíbrio comercial, as ações provocativas do governo chinês, é certamente algo que unirá republicanos e democratas”, afirmou ele.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas