Legislador canadense afirma que mãe solteira teve conta congelada após dar US$ 50 ao Comboio da Liberdade

“Briane é uma mãe solteira de Chilliwack que trabalha com salário mínimo”

Por Katabella Roberts 

Legislador canadense, Mark Strahl, no dia 20 de fevereiro, alegou que uma mãe solteira que recebe salário mínimo, teve sua conta bancária congelada após “legalmente” doar US $50 ao Comboio da Liberdade.

Strahl, um conservador, foi ao Twitter para criticar o primeiro-ministro Justin Trudeau pelo Ato de Emergência, que foi invocado pela primeira vez na história do Canadá para abordar o impacto dos protestos em andamento contra os mandatos e restrições da COVID-19 por caminhoneiros e seus apoiadores.

“Briane é uma mãe solteira de Chilliwack que trabalha com salário mínimo”, escreveu Strahl no Twitter no dia 20 de fevereiro. “Ela deu US $50 para o comboio quando era 100% legal. Ela não participou de nenhuma outra forma. Sua conta bancária agora foi congelada. É quem Justin Trudeau realmente está mirando com suas ordens da Lei de Emergência”.

Strahl logo foi pressionado por outros usuários do Twitter para fornecer mais detalhes e verificação sobre suas alegações quanto a mãe solteira e sua conta bancária supostamente congelada.

No entanto, o deputado Chilliwack-Hope recusou-se a fazê-lo, afirmando que não queria publicar online informações de identificação sobre a mulher que pudessem ser usadas com intenção maliciosa.

“Obrigado a quem leu isso e se ofereceu para ajudar alguém que você nunca conheceu”, escreveu ele em uma segunda publicação. “Que vergonha para aqueles que leram e atacaram alguém que nunca conheceram. Continuarei trabalhando com Briane para resolver esse problema com seu banco e fornecerei atualizações à medida que forem disponibilizadas”.

Ele acrescentou: “Para aqueles de vocês, especialmente a mídia, exigindo mais detalhes sobre Briane, tendo visto o que foi dito sobre ela hoje online e o que foi feito a outros doadores de comboio nas últimas semanas, não vou ajudá-los a expondo ela. Eu sei quem ela é e não vou parar de lutar por ela”.

Um policial quebra uma janela de caminhão enquanto a polícia se mobiliza para remover manifestantes em Ottawa, no dia 19 de fevereiro de 2022 (Dave Chan/AFP via Getty Images)
Um policial quebra uma janela de caminhão enquanto a polícia se mobiliza para remover manifestantes em Ottawa, no dia 19 de fevereiro de 2022 (Dave Chan/AFP via Getty Images)

Os poderes de congelamento sob a Ordem de Medidas Econômicas de Emergência (Ato de Emergência), pertenciam a “indivíduos que foram influenciadores no protesto ilegal em Ottawa e proprietários e/ou motoristas de veículos que não queriam deixar a área impactada pelo protesto”.

“Em nenhum momento fornecemos uma lista de doadores para instituições financeiras”, declarou a RCMP. “Agora estamos trabalhando com os bancos para construir um processo para lidar com as contas que foram congeladas”, acrescentou a RCMP.

Mike Duheme, vice-comissário de policiamento federal da RCMP, anunciou no dia 20 de fevereiro que a polícia havia congelado 206 produtos financeiros, incluindo contas bancárias e corporativas, de indivíduos e empresas supostamente envolvidos nos protestos em andamento em Ottawa.

Duheme afirmou em uma entrevista coletiva que a RCMP também divulgou as informações de 56 entidades associadas a veículos, pessoas físicas e empresas. As autoridades também compartilharam 253 endereços de bitcoin com corretoras virtuais e congelaram uma conta de processamento de pagamentos avaliada em US $3,8 milhões, afirmou Duheme.

A RCMP não declarou o que acontecerá com o dinheiro que foi congelado por instituições financeiras ou indicou que aqueles que doaram dinheiro ao Comboio da Liberdade foram incluídos.

“Continuamos trabalhando na coleta de informações relevantes sobre pessoas, veículos e empresas e mantemos comunicação diária com as instituições financeiras para auxiliá-los”, afirmou Duheme a repórteres.

No entanto, em uma coletiva de imprensa no dia 21 de fevereiro, Trudeau foi questionado se os indivíduos regulares que fazem doações para apoiar o Comboio da Liberdade estavam tendo suas contas bancárias congeladas, ao que ele respondeu que “as medidas que implementamos são projetadas e focadas para garantir que pessoas nas atuais ocupações ilegais vão embora”, informou o Vancouver Sun.

“Essa tem sido a intenção e o foco agora. Se houver casos específicos que os ministros conservadores possam apresentar para destacar onde não é o caso, ficaríamos felizes em analisá-los e tentar resolvê-los”, afirmou Trudeau.

A vice-primeira-ministra Chrystia Freeland também reiterou que as sanções financeiras visam os líderes e aqueles que fizeram parte de ocupações e bloqueios ilegais.

“É importante que todos nós tenhamos muito, muito cuidado para obter nossos fatos exatamente corretos em cada circunstância, e eu exorto todos nós a tomar esse cuidado em todas as situações”, afirmou ela.

“A RCMP deu às instituições financeiras nomes de líderes e organizadores dos protestos e de pessoas cujos caminhões fizeram parte de ocupações e bloqueios. Essa é a única informação dada, de acordo com a RCMP, que a RCMP forneceu às instituições financeiras.”

O Epoch Times entrou em contato com a Polícia Montada Real Canadense e Mark Strahl para comentários.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas