Kremlin faz anúncio em meio a rumores sobre saúde de Putin

Putin é “normalmente a voz calma na Rússia, mas publicamente se tornou mais emocional e irritado”

Por Jack Phillips 

Uma autoridade do alto escalão do Kremlin contestou informações de que a saúde do presidente russo, Vladimir Putin, está piorando progressivamente em meio a rumores de que ele pode estar com câncer.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, respondeu aos relatos, dizendo que Putin “faz aparições públicas diariamente”.

“Você pode vê-lo nas telas de TV, ler e ouvir seus discursos. Não acho que uma pessoa sã possa suspeitar de qualquer sinal de doença ou enfermidade neste homem”, acrescentou. “Vou deixar na consciência daqueles que divulgam esses rumores, apesar das oportunidades diárias para que todos vejam como ele e os outros se parecem”.

Lavrov, que falava a uma emissora de TV francesa, não abordou as alegações de que Putin está sofrendo de uma forma não revelada de câncer.

Christopher Steele, ex-espião do Reino Unido e renomado autor do infame e desacreditado “dossiê Steele”, disse à Sky News no início deste mês que acredita que Putin está “gravemente doente” e afirmou que isso contribuiu para a invasão da Ucrânia.

Notavelmente, Steele foi contratado por organizações em nome da campanha de Hillary Clinton em 2016 para realizar pesquisas de oposição contra o então candidato Donald Trump, criando o dossiê acusando Trump de ter conexões com Moscou. A maioria das alegações contidas nas notas de Steele foram desmascaradas por oficiais de inteligência dos EUA, embora essas alegações tenham chegado a meios de comunicação corporativos americanos, como MSNBC e New York Times.

Uma reportagem de um canal chamado New Lines Magzine alegou que recebeu uma gravação de áudio de um oligarca russo não identificado, que alegou que Putin está “muito doente com câncer no sangue”.

E em março, Moscou também negou outros rumores – que são amplamente baseados em fontes não corroboradas e não identificadas – sobre a saúde de Putin. Na época, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que o líder russo afirmou que estava em boas condições.

No entanto, um ex-funcionário da KGB, Boris Karpichkov, disse ao tablóide The Sun que suspeita que Putin, de 69 anos, tenha várias doenças, incluindo Parkinson e demência. Karpichkov não forneceu nenhuma evidência à publicação, que, juntamente com o Daily Mail e o Mirror, frequentemente publica relatórios especulativos sobre a saúde e os membros da família de Putin.

Este mês, Jeffrey Edmonds, ex-diretor para a Rússia no Conselho de Segurança Nacional e ex-analista militar da CIA, disse ao Business Insider que “não está vendo nada verdadeiramente credível” em relação às alegações sobre a suposta má saúde do presidente russo.

Por causa do fracasso da Rússia em capturar certas partes da Ucrânia, Edmonds disse que ele e outros analistas viram “uma mudança definitiva” no comportamento público de Putin.

Putin é “normalmente a voz calma na Rússia, mas publicamente se tornou mais emocional e irritado”, disse ele, acrescentando que o presidente “não está confortável com alguma coisa”.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas