Justiça manda o governo bancar remédio mais caro do mundo para bebê

Benjamin, de 4 meses, sofre de atrofia muscular espinhal (AME)

Por Diário do Poder

A juíza Joana Carolina Lins Pereira, titular da 12ª Vara de Justiça Federal em Pernambuco, determinou no sábado (18) que o Ministério da Saúde assuma a despesa da compra do remédio mais caro do mundo para o bebê Benjamin Brener Guimarães.

Trata-se do medicamento Zolgensma para o tratamento da atrofia muscular espinhal (AME).

O remédio ainda não foi aprovado pela Anvisa e por essa razão não faz parte da lista de alto custo do Sistema Único de Saúde (SUS), por isso o Ministério da Saúde é legalmente proibido de importar o produto. O valor do medicamento é de cerca de US$2 milhões, o que equivale a R$11,2 milhões.

Benjamin precisa ter acesso ao medicamento antes de completar seis meses de idade para que a ação seja efetiva. O Zolgensma altera o DNA do paciente e é administrado em dose única. Ele foi obteve registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em agosto de 2020.
 
Matérias Relacionadas