Jovens ucranianas são fotografadas com coquetéis molotov em Odessa

Jovens ucranianas carregando coquetéis molotov e pedras foram fotografadas momentos antes da tragédia de Odessa que em 2 de maio significou a morte de 42 pessoas, em sua maioria pró-russa. As vítimas, depois de violentos confrontos, haviam se refugiado no interior do edifício de um sindicato onde morreram sufocadas ou queimadas. Outras morreram depois de saltar pela janela.

Nas fotos as jovens aparecem sorridentes, caminhando juntas com garrafas nas mãos. Além disso, aparecem quebrando o pavimento, recolhendo as pedras e se preparando para atirá-las. (Galeria de Fotos)

Segundo testemunhas, os dois lados do conflito chegaram ao extremo: pró-russos e pró-Kiev, incluindo Euromaidian e Sector Pravi (extrema direita). “Ambos os lados hoje em Odessa estavam armados com paus, pedras, coquetéis Molotov, granadas caseiras e pistolas de ar comprimido”, escreveu Howard Amos em seu Twitter, que tirou uma sequência de fotos da tragédia.

“O mais assustador foi a falta de ação da polícia, mesmo quando ficou claro que as pessoas estavam sendo mortas”, escreveu ele em 2 de maio no local da tragédia. De acordo com Amos, centenas de policiais ficaram parados ao redor.

O vice-primeiro-ministro da Ucrânia, Vitaly Yarema, que chegou na noite da tragédia, disse que a polícia chegou atrasada porque estava em um estádio e conseguiu salvar 161 pessoas que estavam no telhado.

Essas pessoas foram interrogadas e detidas para investigação, disse Yarema. “Testemunhas presentes deram informações conflitantes, no entanto, é possível acreditar que os ‘coquetéis molotov’ foram atirados tanto de cima como de baixo do prédio”, disse o vice-ministro.

A agência de notícias Unian http://www.unian.net/ informou que as pessoas dentro do edifício morreram instantaneamente devido à combustão de uma substância desconhecida. Além delas, algumas pessoas morreram ao pular do 4º e do 5º andares.

 Incendio en el Edificio de Sindicatos de Odesa, Ucrania el 2 de mayo 2014 (@howardamos)
Incendio en el Edificio de Sindicatos de Odesa, Ucrania el 2 de mayo 2014 (@howardamos)

Um relatório inicial da televisão Rai News indicou que testemunhas acusaram os grupos pró-Kiev de atacar a pauladas as pessoas que se atiraram.

No twiter @howardamos, no qual Howard Amos se declara como repórter, ele publicou fotos do exterior do edifício onde se podem ver manchas de sangue (foto).

“Pelo que pude ver, a violência em Odessa hoje aconteceu principalmente devido a um núcleo de extremistas bem treinados, mas não profissionais. De ambos os lados”, disse Amos.

Antes de o edifício ser queimado, Amos declarou: “Sob assédio, os ativistas pró-russos estão jogando coquetéis Molotov do telhado da administração regional” (foto). Nas cenas seguintes, pode-se ver um ativista indicando que os “Promaidian (ativistas europeus ou pró-Kiev) estão dentro do prédio” (foto). A fotografia seguinte mostra o fogo (foto). Mostra várias pessoas pulando das janelas. Ele contou pelo menos cinco pessoas.

Depois de mostrar dois mortos na calçada (foto), Howard Amos disse em seu twitter que havia muitos policiais do lado de fora nas ruas mas que eles não fizeram nada (foto).

Em relação a disparos, “não ficou claro quem portava armas. Mas certamente foram usadas pelos militantes pró-russos encurralados dentro do prédio do sindicato”, concluiu Howard Amos.

O vice-primeiro-ministro Yarema também informou que nos hospitais havia cerca de 90 pessoas, incluindo 22 policiais. Ele não mencionou os nomes de pessoas mortas “para não prejudicar as investigações.” Por sua vez, afirmou que uma pessoa foi morta com tiros no peito.

Em relação à ausência de policiais no início do conflito, a justificativa foi porque estavam protegendo o estádio local onde estava sendo realizado um jogo de futebol. Cinquenta policiais apareceram depois, quando o Ministério do Interior deu a ordem, ele disse, de acordo com a agência Unian.

A agência também informou que, depois que se iniciou uma briga, os adversários pró-russos foram para o prédio do sindicato, e que “a maioria dos cidadãos (no conflito) foram a favor da Ucrânia, incluindo os torcedores do jogo, e eles superavam em número os oponentes em 4 vezes, quando então começou um incêndio no centro do edifício. ”

Parentes dos mortos deixaram flores onde tudo aconteceu. A imagem de uma menina deixando um ramo de rosas amarelas correu as redes sociais.

 
Matérias Relacionadas