Jovem viciado em crack se recupera incrivelmente e choca sua família

Por Pham Duc Duy

Eu era o filho único e mimado de uma família trabalhadora na cidade de Ha Long, no Vietnã. Desde muito novo eu não prestava atenção na escola e ignorava meus estudos. Eu era uma criança desobediente e meus pais tinham que me controlar dia e noite para que eu me comportasse. Eles tentaram todos os tipos de métodos: palavras doces, repreensão e até batiam em mim. Minha mãe chorava muito durante a noite, e eu podia perceber que meu pai estava arrasado, mas, naquela época, eu não me importava.

Eu iniciei meu vício usando drogas leves, mas rapidamente comecei a usar drogas pesadas. No segundo grau, eu já estava viciado em heroína. Foi então que comecei a sair com gangues criminosas e larguei a escola.

Comecei a usar crack, um pó branco sólido que pode ser fumado. Quando eu estava sob o efeito do crack, ele me deixava num estado de paranóia, e eu poderia passar dias sem comer. Quando o efeito acabava, sentia-me arrasado e exausto.

Eu não sei quanto dinheiro eu estava gastando com drogas naquela época, mas sei que era muito.

Depois de muitas tentativas fracassadas de abandonar as drogas, Pham Duc Duy teve a sorte de escapar de uma vida miserável e da morte certa graças à ajuda de um amigo (Pham Duc Duy)
Depois de muitas tentativas fracassadas de abandonar as drogas, Pham Duc Duy teve a sorte de escapar de uma vida miserável e da morte certa, graças à ajuda de um amigo (Pham Duc Duy)

Eu fazia empréstimos com parentes e vizinhos, e quando fiquei mais velho, passei a penhorar objetos de valor para conseguir dinheiro, como minha moto e itens roubados de meus pais. Minha família sempre conseguiu o dinheiro para pagar os credores, embora fosse uma luta. Meus pais tinham uma lanchonete, trabalhavam duro dia e noite. Minha mãe acordava cedo todos os dias para abrir a lanchonete, ela trabalhava demais. Meus pais não podiam se dar ao luxo de tirar um dia de folga para conseguirem manter o filho viciado em drogas.

Isso tudo aconteceu bem diante dos meus olhos, mas eu nunca me importei. O velho eu, aquele sujeito imundo com ombros largos e uma cara mal humorada, ficava feliz em torrar o dinheiro que sua mãe ganhava com sangue e suor. Eu só percebi isso quando olhei para trás depois de encontrar uma saída dessa condição.

O beco sem saída

Meus demônios internos surgiam sempre que eu ficava sem dinheiro e não conseguia comprar drogas. Pensamentos de roubo e furto de carteira passavam pela minha cabeça muitas vezes, embora eu nunca tenha seguido adiante. Felizmente, nunca agredi física ou verbalmente meus pais para forçá-los a me darem dinheiro.

As pessoas podem pensar que os viciados estão mortos por dentro e se transformam em assassinos de sangue frio quando anseiam por drogas. Mas, na realidade, os viciados em drogas, como eu já fui, são infelizes. Isto é porque eles não podem ver qualquer saída, mas apenas a triste realidade de que sua vida é um beco sem saída.

Meus pais se dedicaram a salvar seu único filho, mas nenhum dos métodos deles conseguiu me ajudar a abandonar meu vício. Então, com um vislumbre de esperança de que constituir uma família poderia me colocar na linha, meus pais me arranjaram um casamento.

“Comecei a me concentrar mais nos exercícios e aos poucos comecei a comer e dormir melhor. Minha saúde melhorou rapidamente e eu não estava mais sempre cansado. Eu até comecei a recuperar meu peso” (Pham Duc Duy)
“Comecei a me concentrar mais nos exercícios e aos poucos passei a comer e dormir melhor. Minha saúde melhorou rapidamente e eu não estava mais sempre cansado. Eu até comecei a recuperar meu peso” (Pham Duc Duy)

No entanto, continuei meus caminhos mesmo depois de me tornar pai de uma linda menina. É de partir o coração pensar no número de vezes que magoei minha esposa e minha filha.

Após me implorar inúmeras vezes para que eu mudasse meus caminhos, minha esposa finalmente perdeu a esperança e me deixou. Ela voltou a morar com os pais, levando nossa filha com ela.

Meus pais ficaram extremamente abalados com a minha separação. Mas mesmo assim, eu não tinha vontade de mudar. Eu estava tão viciado em crack que não conseguia sentir a dor da minha família. Passava meus dias drogado e em alucinação.

Mas com o passar dos anos, o abuso de drogas começou a afetar meu corpo. Minha pele estava amarela, meus olhos eram fundos e vazios, e eu estava frágil e doente. Eu sofria de insônia e hepatite B e C, e não conseguia nem provar comida. Eu precisava gastar muito dinheiro com medicamentos que vinham de Hanói. Completamente exausto e desesperado, comecei a perder a esperança na vida.

Porém, tudo isso mudou quando encontrei o caminho de volta.

O caminho de volta

Foi uma prática de meditação que me ajudou a recuperar o controle da minha vida. A prática não só curou minhas doenças, mas também mudou o destino de toda a minha família.

Meu amigo Toan, um ex-viciado em drogas que sofria de doença renal e depressão, me contou sobre um livro chamado “Zhuan Falun” que explica os princípios do Falun Gong, uma disciplina de meditação e qigong da China.

“Dentro de pouco tempo, eu não precisava mais tomar nenhum remédio. Há mais de um ano estou saudável e até ganhei 15 quilogramas” (Pham Duc Duy)
“Dentro de pouco tempo, eu não precisava mais tomar nenhum remédio. Há mais de um ano estou saudável e até ganhei 15 quilogramas” (Pham Duc Duy)

Sua esposa estava praticando os exercícios do Falun Gong e apresentou-os a Toan. Eles começaram a praticar juntos e isso gradualmente ajudou Toan a abandonar as drogas, curar suas doenças e recuperar sua bondade.

Toan tornou-se uma pessoa completamente diferente depois disso. Ele não era mais aquele viciado em drogas de pele amarela e raquítico que ficava injetando heroína o dia todo. Surpreendentemente, ele se transformou num homem saudável, sorridente e de pele rosada. E ele parecia calmo e estável, muito diferente do rapaz viciado, paranóico e nervoso que eu conhecia há anos.

A esposa de Toan compreendia profundamente o sofrimento e a dor dos dependentes de drogas e de suas famílias. Ela também sabia por experiência que o Falun Gong poderia ajudar as pessoas a resolver seus problemas fundamentalmente. Sem hesitar, ela andava uma longa distância no frio todos os dias no início da manhã para me buscar para irmos ao local de prática do Falun Gong.

Eu era preguiçoso no início porque meu corpo estava muito fraco, mas vê-la esperando por mim pacientemente do lado de fora enquanto ainda estava escuro era muito tocante. Eu me esforcei para superar todos os obstáculos para que eu pudesse ir ao local de prática a tempo. Eu vi que os praticantes do Falun Gong são realmente bons; eles desinteressadamente pensam nos outros primeiro.

Quanto mais eu lia o livro “Zhuan Falun”, mais fascinado eu ficava. O livro ensina às pessoas que a verdadeira felicidade vem de considerar os outros e seguir os princípios universais da verdade, compaixão e tolerância. Isso me trouxe perspectiva sobre minhas ações e eu lamentei profundamente ter cometido tantos pecados e magoado tantas pessoas. Pela primeira vez, meu coração se encheu de emoção e de tristeza quando me lembrei de como minha mãe trabalhava tão duro todos os dias. E era insuportável recordar a angústia e a tristeza do rosto envelhecido do meu pai.

Ao ler o livro, compreendi por que é necessário ser uma pessoa boa e que o egoísmo é a causa básica do sofrimento na vida. Senti que havia acordado de um longo sono e prometi a mim mesmo que mudaria. Eu não queria continuar vivendo como antes, e não queria nunca mais magoar ou decepcionar ninguém.

Depois que comecei a ler e praticar regularmente os exercícios do Falun Gong, senti meu corpo sendo limpo. Na primeira semana que eu comecei a prática, eu tinha sangue nas minhas fezes, às vezes coágulos de sangue e às vezes sangue fresco. Estranhamente, não senti dor no abdômen, nem senti qualquer sentimento anormal. Eu estava nervoso, mas percebi que estava apenas expulsando todas as coisas imundas do meu corpo. Os sintomas desapareceram naturalmente logo em seguida.

Comecei a me concentrar mais nos exercícios e aos poucos comecei a comer e dormir melhor. Minha saúde melhorou rápida e notavelmente, e eu não me sentia sempre cansado. Eu até comecei a recuperar meu peso.

Muitas vezes, eu me sentia cansado quando começava a fazer os exercícios, mas descobri que, se perseverasse, me tornava confortável e revigorado toda vez que terminasse. Minha pele ficou brilhante e rosada.

"Quanto mais eu lia o livro 'Zhuan Falun', mais fascinado eu ficava" (Pham Duc Duy)
“Quanto mais eu lia o livro ‘Zhuan Falun’, mais fascinado eu ficava” (Pham Duc Duy)

Em pouco tempo, eu não precisava mais tomar qualquer medicamentos. Há mais de um ano tenho me sentido muito saudável e até ganhei 15 quilogramas. Este acontecimento superou os meus sonhos e os sonhos da minha família.

Fiquei bem o suficiente para ajudar minha família nas tarefas domésticas e comecei a ajudar minha mãe com trabalho físico, algo que nunca pensei que seria possível. Vendo a mudança em mim, minha mãe disse: “Este caminho de cultivo [do Falun Gong] é muito bom, meu filho realmente mudou.”

Pedi desculpas aos meus sogros e à minha esposa e pedi que me dessem outra chance. Minha esposa viu a tremenda mudança em mim e concordou em voltar. Eu fiquei muito agradecido por seu perdão; nossa família está novamente junta, feliz e unida.

Recuperando a esperança

Como praticante do Falun Gong, faço o melhor que posso para aplicar os princípios da verdade, compaixão e tolerância sempre que me deparo com conflitos. Isso criou harmonia em minha casa e um ambiente estável para minha filha.

Eu estou sempre me esforçando para melhorar meu caráter e me tornar uma pessoa melhor, e isso trouxe muita felicidade para meus pais e toda a família. Eu recuperei a esperança e a crença no potencial da vida.

"Foi uma prática de meditação que me ajudou a recuperar o controle sobre a minha vida" (Pham Duc Duy)
“Foi uma prática de meditação que me ajudou a recuperar o controle sobre a minha vida” (Pham Duc Duy)

Antes de começar a praticar o Falun Gong, meus vícios eram como algo grudento agarrado à minha vida e penetrando na minha mente. Mesmo quando eu estava muito doente e acamado, eu ainda tinha ânsia de fumar, já que eu não podia continuar sem as drogas. Quanto mais entediado eu estava, mais apegado eu me sentia aos meus vícios. Foi só quando comecei a praticar o Falun Gong que consegui abandonar com sucesso meus maus hábitos e o vício em drogas.

Eu comecei a despertar. Eu sabia que meus apegos destrutivos tinham que ser removidos, e passei a entender melhor a relação entre causa e efeito. No passado, eu tentei deixar as drogas algumas vezes, mas falhei em todas as tentativas. Eu precisava de muitas outras drogas enquanto me abstinha de crack, mas ainda assim meus esforços foram em vão. Mas enquanto eu lia mais o livro “Zhuan Falun”, comecei a me sentir mais forte e mais leve, e não queria mais o crack. Com uma nova perspectiva, consegui transcender a provação.

Fiquei surpreso com a facilidade com que consegui me recuperar do vício e minhas lágrimas de gratidão fluíram. A princípio, embora tivesse abandonado a heroína, eu ainda fumava cigarros. Depois de ler o “Zhuan Falun” pela segunda vez, decidi parar de fumar completamente. A partir de então, eu não dependia mais de nenhuma substância.

"O que eu mais quero é poder ajudar outros jovens que estão sofrendo com vícios e não conseguem achar uma saída" (Cortesia de Pham Duc Duy)
“O que eu mais quero é poder ajudar outros jovens que estão sofrendo com vícios e não conseguem achar uma saída” (Cortesia de Pham Duc Duy)

Eu também tenho elevado meu caráter moral. Por exemplo, os clientes cometem erros de pagamento regularmente na loja dos meus pais e me dão mais dinheiro do que necessário. Ou eles podem esquecer seus celulares, incluindo modelos caros como o iPhone. No passado, eu pegaria o dinheiro ou guardaria o telefone para mim. Agora, assim que percebo o erro monetário ou encontro um telefone que foi deixado para trás, eu ligo para eles e devolvo o que por direito lhes pertence.

No passado, se minha mãe não estivesse procurando, eu pegaria dinheiro extra do caixa. Mas agora, eu entendo que isso está errado, porque os praticantes do Falun Gong devem ser boas pessoas a qualquer hora e em qualquer lugar, mesmo que ninguém esteja vendo.

O que eu mais quero é poder ajudar outros jovens que estão sofrendo com vícios e que não conseguem achar uma saída. Eu sei que há muitos jovens que se perderam como eu e estão desamparados, sem esperanças. Quando eu os vejo, isso realmente parte meu coração. Eu sei o quanto eles estão sofrendo, e eu espero que eles sejam afortunados e consigam ter uma vida nova como eu consegui.

Nota do editor:

Falun Dafa é uma prática de cultivo da mente e do corpo que ensina a Verdade, a Compaixão e a Tolerância como uma forma de melhorar a saúde e o caráter moral e alcançar a sabedoria espiritual.

Para mais informações sobre a prática, visite FalunDafa.org. Todos os livros, música de exercícios, recursos e instruções estão disponíveis gratuitamente.

 
Matérias Relacionadas