Jornal do Equador cancela edição impressa

O jornal equatoriano Hoy, fundado há 32 anos e considerado de oposição pelo governo, anunciou neste domingo a suspensão de sua edição impressa, em função de um boicote publicitário e por regulações restritivas de uma Lei de Comunicação nacional imposta pelo regime do presidente Rafael Correa.

A partir desta segunda-feira (30), a publicação contará apenas com uma versão digital. Em um editorial publicado no jornal, a empresa afirma que a decisão foi baseada nas “regulações restritivas da Lei de Comunicação e no aprofundamento de alguns de seus dispositivos, incluindo os que limitam de forma discriminatória o investimento nacional em meios de comunicação”.

Rafael Correa decretou em 2013 uma lei que proíbe aos donos de bancos o direito de administrar órgãos da imprensa. A norma é questionada pela iniciativa privada, cerceada pela falta de liberdade à imprensa. “O permanente boicote publicitário ao Hoy, o cancelamento de contratos de impressão, especialmente de textos escolares e outras limitações para financiar nossas operações, incluindo a iniciativa de transformar a informação em serviço público, nos obrigam a tomar a dura decisão de suspender a edição impressa diária”, afirma o jornal de Quito.

“A gradual perda das liberdades e a limitação das garantias constitucionais sofridas no Equador, a autocensura que impõe a vigência da lei de comunicação, os ataques reiterados diretos e indiretos à imprensa que não é controlada pelo governo têm provocado, há mais de sete anos, um cenário totalmente adverso para o desenvolvimento de um jornal plural, livre, independente, aberto às distintas correntes de opinião”, completa o editorial do Hoy.

Vide Versus

 
Matérias Relacionadas