Jogadora de tênis tcheca deportada busca indenização dos organizadores do Aberto da Austrália

Voracova decidiu encerrar sua campanha no Aberto da Austrália após seu visto ser cancelado

Por Daniel Y. Teng 

A tenista tcheca, Renata Voracova, prometeu buscar compensação da Tennis Australia após deixar o país no fim de semana por uma disputa de visto.

Voracova decidiu encerrar a sua campanha no Aberto da Austrália após seu visto ser cancelado em meio a saga de Novak Djokovic.

Em entrevista ao Denik, um jornal da República Tcheca, Voracova, de 38 anos, afirmou que seu pedido de indenização não seria pequeno.

“Só a passagem aérea custou 60.000 coroas tchecas (US$ 2.822), e meu treinador viajou comigo – e depois há todo esse tempo, hotéis, treinamento para o grand slam, o potencial prêmio em dinheiro”, declarou ela.

“Espero que a Tennis Australia enfrente isso e que não tenhamos que tomar medidas legais”, acrescentou.

“Não estou pensando em tênis. Ainda estou acordando do choque, ainda não processei. Estou exausta.”

A Associação de Tênis Feminino (WTA, em sua sigla em inglês) apoiou Voracova, observando que incentivou os jogadores a serem vacinados e apoiou as restrições de viagem da Austrália.

Uma mulher que se acredita ser Renata Voracova, da República Tcheca, olha de um veículo ao sair de um centro de detenção do governo onde o campeão de tênis da Sérvia, Novak Djokovic, estaria hospedado, em Melbourne, na Austrália, no dia 8 de janeiro de 2022 (William West /AFP via Getty Images)
Uma mulher que se acredita ser Renata Voracova, da República Tcheca, olha de um veículo ao sair de um centro de detenção do governo onde o campeão de tênis da Sérvia, Novak Djokovic, estaria hospedado, em Melbourne, na Austrália, no dia 8 de janeiro de 2022 (William West /AFP via Getty Images)
Uma mulher que se acredita ser Renata Voracova, da República Tcheca, olha pela janela em um centro de detenção do governo onde o campeão de tênis da Sérvia, Novak Djokovic, estaria em Melbourne, na Austrália, no dia 7 de janeiro de 2022 (Con Chronis /AFP via Getty Images)
Uma mulher que se acredita ser Renata Voracova, da República Tcheca, olha pela janela em um centro de detenção do governo onde o campeão de tênis da Sérvia, Novak Djokovic, estaria em Melbourne, na Austrália, no dia 7 de janeiro de 2022 (Con Chronis /AFP via Getty Images)

“Dito isso, as complicações experimentadas nos últimos dias, quando os atletas seguiram o processo aprovado e autorizado de receber uma isenção médica para entrada no país, são lamentáveis”, declarou a WTA em comunicado.

“Voracova seguiu essas regras e procedimentos, foi liberada para entrar em sua chegada, competiu em um evento e, de repente, teve seu visto cancelado quando ela não fez nada de errado”, continuou.

“Continuaremos a trabalhar com todas as autoridades para lidar com essa situação infeliz de maneira apropriada.”

A jogadora checa foi inicialmente autorizada a entrar na Austrália e competiu em um torneio de aquecimento sob uma isenção médica, que também havia sido concedida a Djokovic.

No entanto, após o cancelamento do visto de Djokovic, as autoridades australianas iniciaram uma investigação sobre vários outros jogadores e equipe de apoio.

Como resultado, Voracova teve seu visto temporário cancelado e foi forçada a ficar no mesmo hotel de Melbourne para quarentena que Djokovic.

Enquanto sérvio contestava o cancelamento de seu visto, Voracova decidiu deixar a Austrália “com base em sua própria decisão de encerrar sua participação no torneio”, segundo o Ministério das Relações Exteriores da República Tcheca.

Por fim, a contestação legal de Djokovic foi bem-sucedida, com a estrela do tênis livre para buscar seu 21º título do Grand Slam.

O ministro federal da imigração, no entanto, tem o poder de cancelar o visto de Djokovic, se assim o desejar. Atualmente, nenhuma decisão foi tomada.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas